InícioMundoDepartamento de Saúde e Serviços Humanos de Joe Biden é cúmplice na...

Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Joe Biden é cúmplice na prostituição de crianças migrantes

Diz que o governo é cúmplice porque 'não somos processados ​​por traficantes'... Criança migrante: minha patrocinadora 'me prostituiria para homens'

- continua após a publicidade -

Denunciante do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA revela ‘dólares de impostos’ gastos para ‘colocar crianças nas mãos de criminosos’; Diz que o governo é cúmplice porque ‘não somos processados ​​por traficantes’… Criança migrante: minha patrocinadora ‘me prostituiria para homens’

  • Tara Lee Rodas, Conselho dos Inspetores Gerais de Integridade e Eficiência: “Os impostos das pessoas que estão ouvindo [meu testemunho ao Projeto Veritas] estão pagando para colocar crianças nas mãos de criminosos.”
  • Rodas: “Nossos patrocinadores normalmente não são cidadãos. Eles não são residentes permanentes. Eles não têm uma presença legal.”
  • Rodas: “O patrocinador pode mostrar uma ‘ordem de deportação’ para uma criança [migrante] e dizer: ‘Esta é a sua ordem de deportação. Se você não fizer o que eu disser, quando eu disser, eu mesmo vou chamar o ICE de você.’ Estamos pagando para colocar crianças nas mãos de criminosos”.
  • Rodas: “Eu disse [aos executivos do centro de comando]: ‘Estamos nos preparando para enviar outra criança [para Austin, Texas]’ e eles disseram: ‘Tara, acho que você precisa entender que só seremos processados ​​se mantemos as crianças sob cuidados por muito tempo. Não somos processados ​​por traficantes. Você está claro? Não somos processados ​​por traficantes.’ Então, essa foi a resposta do governo federal dos Estados Unidos… O HHS não queria que essa informação vazasse.”
  • Rodas: “Eles sabiam que eu havia feito divulgações protegidas e retaliaram contra mim como denunciante e me expulsaram do site para que eu não pudesse mais pesquisar os casos”.
  • Criança migrante do sexo feminino: “Uma tia [me patrocinou], mas me expulsou de casa dela. Ela estava me proxeneta e eu não gostava disso. Ela me prostituía para os homens.
  • Criança do sexo feminino migrante: “Acabei de escapar uma noite. Eu falei pra ela [tia] ‘vou na lavanderia’. Ela [tia] foi na lavanderia e não me achou lá. Mais tarde, ela ligou para a Imigração.

[WASHINGTON, DC – 29 de novembro de 2022] O Projeto Veritas lançou hoje um novo vídeo apresentando um denunciante trabalhando em uma agência do governo federal chamada Conselho de Inspetores Gerais de Integridade e Eficiência [CIGIE].

A denunciante, Tara Lee Rodas, ofereceu-se para ajudar o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA [HHS] com o processamento de crianças migrantes desacompanhadas e foi enviada para o Local de Atendimento de Emergência em Pomona, Califórnia.

Rodas sentou-se com o fundador do Projeto Veritas, James O’Keefe, e descreveu como ela acredita que o atual programa de patrocínio infantil é precário para esses menores.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

“Os impostos das pessoas que estão ouvindo estão pagando para colocar as crianças nas mãos de criminosos”, disse Rodas a O’Keefe.

“Nossos patrocinadores normalmente não são cidadãos. Eles não são residentes permanentes. Eles não têm presença legal”, disse ela.

“O patrocinador pode apresentar uma ‘Ordem de Deportação’ para uma criança [migrante] e dizer: ‘Esta é a sua Ordem de Deportação. Se você não fizer o que eu disser, quando eu disser, eu mesmo vou chamar o ICE de você.’ Estamos pagando para colocar crianças nas mãos de criminosos”.

A denunciante afirmou que questionou burocratas do governo federal sobre possíveis irregularidades acontecendo dentro de suas instituições, e a resposta geralmente foi desdenhosa de suas preocupações. Ela acredita ter sofrido retaliação no trabalho por levantar essas questões.

“Eu disse [aos executivos do centro de comando]: ‘Estamos nos preparando para enviar outra criança [para Austin, Texas]’ e eles disseram: ‘Tara, acho que você precisa entender que só seremos processados ​​se mantivermos crianças sob cuidados por muito tempo. Não somos processados ​​por traficantes. Você está claro? Não somos processados ​​por traficantes.’ Então, essa foi a resposta do governo federal dos Estados Unidos. O HHS não queria que essa informação vazasse”, disse Rodas.

“Eles sabiam que eu havia feito divulgações protegidas e retaliaram contra mim como denunciante e me expulsaram do site para que eu não pudesse mais pesquisar os casos”, disse ela.

Como resultado do avanço de Rodas, os jornalistas do Projeto Veritas visitaram vários endereços físicos fornecidos pelo denunciante para entrevistar indivíduos e investigar se o tráfico estava ocorrendo.

Uma jornalista da Veritas conversou com uma menor migrante em uma dessas ocasiões, que revelou ter sofrido abuso sexual por parte de seu padrinho.

“Uma tia [me patrocinou], mas me expulsou de casa dela. Ela estava me proxeneta e eu não gostava disso. Ela me prostituía para os homens”, disse a criança.

“Acabei de escapar uma noite. Eu falei pra ela [tia] ‘vou na lavanderia’. Ela [tia] foi na lavanderia e não me achou lá. Mais tarde, ela ligou para a Imigração.

O Project Veritas divulgará mais informações sobre esse problema esta semana, à medida que a história continua a se desenvolver. Os denunciantes que estão cientes de situações semelhantes são convidados a entrar em contato com VeritasTips@protonmail.com com informações que o público merece saber.

Sobre o Projeto Veritas

James O’Keefe estabeleceu o Project Veritas em 2010 como uma empresa jornalística sem fins lucrativos para continuar seu trabalho de reportagem secreta. Hoje, o Projeto Veritas investiga e expõe corrupção, desonestidade, autodefesa, desperdício, fraude e outras más condutas em instituições públicas e privadas para alcançar uma sociedade mais ética e transparente e para se envolver em litígios para: proteger, defender e expandir direitos humanos e direitos civis garantidos por lei, especificamente os direitos da Primeira Emenda, incluindo a promoção da livre troca de ideias em um mundo digital; combater e derrotar a censura de qualquer ideologia; promover relatórios verídicos; e defender questões de liberdade de expressão e associação, incluindo o direito ao anonimato. O’Keefe atua como CEO e presidente do conselho para que possa continuar a liderar e ensinar seus colegas jornalistas,  

O Project Veritas é uma organização registrada 501(c)3. O Projeto Veritas não defende resoluções específicas para as questões levantadas por meio de suas investigações.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

STF julga liberação de crininosas para prender manifestantes de 8 de janeiro

Vão soltar criminosas para sobrar lugar para prender senhoras que se manifestavam dentro da constituição e acreditaram em um capitão e alguns generais

As críticas do New York Times a Moraes

O jornal norte-americano New York Times voltou a falar sobre o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Uma reportagem publicada neste domingo, 22,...

5 depredações da esquerda contra o patrimônio público

“Nunca vocês leram alguma notícia sobre um movimento ou partido de esquerda invadir o Congresso Nacional, a Suprema Corte ou o Palácio do Planalto”,...

Valor bloqueado de manifestantes sobe para R$ 18,5 milhões

A Justiça Federal autorizou hoje (21) novos bloqueios de bens de suspeitos de financiar os atos que resultaram na depredação dos prédios dos Três Poderes...

José Dirceu propõe reestruturar papel dos militares no Brasil

Militares precisam voltar para os quartéis e sair de órgãos do governo, sugere. José Dirceu de Oliveira e Silva, ex-ministro da Casa Civil de Lula,...
- PUBLICIDADE -