InícioSaúdeSorrir e mostrar a gengiva é algo que te incomoda?

Sorrir e mostrar a gengiva é algo que te incomoda?

- continua após a publicidade -

Se você não está feliz com o excesso de gengiva que aparece ao sorrir, saiba que o sorriso gengival pode ser tratado utilizando um método simples, fácil, eficaz e não cirúrgico, que é a aplicação de toxina botulínica, popularmente conhecida como botox.

A resolução deste problema não é apenas uma questão de estética, mas também de autoestima e convívio social, já que muitas pessoas com sorriso gengival acabam colocando a mão na frente da boca para tampar a gengiva que aparece excessivamente e, às vezes, chegam a evitar sorrir devido a isto.

“Mostrar a gengiva ao sorrir é algo que incomoda muito as pessoas que têm sorriso gengival. Uma das formas não cirúrgicas de corrigir esse problema é a aplicação de toxina botulínica, que é um método muito eficaz e simples. Aliás, há casos em que mesmo após uma cirurgia de correção o resultado não fica completamente satisfatório e o paciente aplica o botox para conseguir um sorriso mais harmônico”, explica a dermatologista da Clínica Vitta Estética e Pilates, Dra. Paola Borges.

Ela destaca ainda que o tratamento é muito seguro e os efeitos são temporários. “Os resultados aparecem em cerca de 72 horas após a aplicação e duram de quatro a seis meses, dependendo de como o corpo do paciente reage. Depois desse período, ocorre um retorno da função neuromuscular. Sendo assim, o tratamento com toxina botulínica não pode ser considerado curativo, mas sim uma alternativa para resolução do problema, podendo ser repetido a cada quatro meses”, acrescenta.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Cada caso, após avaliação, exige uma certa quantidade da toxina, para que o resultado fique satisfatório e natural. “Em geral, os pacientes ficam extremamente satisfeitos, pois o tratamento é muito simples, rápido e praticamente indolor”, destaca a Dra. Paola.

Muitas pessoas passam anos se sentindo desconfortáveis ao sorrir e chegam a pensar que somente um procedimento cirúrgico solucionaria o problema. A dermatologista ressalta que o rosto é o cartão de visitas das pessoas, principalmente o sorriso, além de ser a forma como expressamos nossas alegrias. “Se sentir bem influencia e muito na maneira como as pessoas se relacionam, chega a afetar o desempenho dessas pessoas no mercado de trabalho e na maneira como se desenvolvem no convívio social”, conta.

“Com apenas uma sessão é possível resolver este desconforto e o paciente só precisa refazer o procedimento – em médica – a cada seis meses. É uma maneira muito simples, mas que oferece confiança e satisfação pessoal”, completa.

Para entender melhor como o botox auxilia nestes casos de sorriso gengival, a médica explica que a toxina age paralisando de forma benéfica estes músculos específicos do rosto que levantam em excesso os lábios. “A toxina age impedindo ou diminuindo a contração muscular, impossibilitando a gengiva de se evidenciar sempre que o paciente sorri. Trata-se de uma excelente alternativa para quem quer corrigir esse problema. Com este resultado, os lábios – mesmo sorrindo – ficam em conformidade com a simetria dos dentes”, finaliza.

Confira o antes e depois do tratamento:

Antes e Depois do tratamento na gengiva

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

MST já fala em ‘distribuição de terras de latifúndios’

Movimento quer ainda a 'agroecologia' no Brasil

Não vai acontecer mas: Secretaria da Cultura e Turismo abre cadastro para Grupos Carnavalescos

Até o carnaval estaremos novamente com tudo fechado e eles já sabem, mas fazem de conta que nada sabem.

Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Joe Biden é cúmplice na prostituição de crianças migrantes

Diz que o governo é cúmplice porque 'não somos processados ​​por traficantes'... Criança migrante: minha patrocinadora 'me prostituiria para homens'

CARTA DOS OFICIAIS SUPERIORES DA ATIVA AO COMANDANTE DO EXERCITO BRASILEIRO

Covardia, injustiça e fraqueza são os atributos mais abominados para um Soldado. oficiais superiores da ativa do Exército  Brasileiro, que o fazem de livre e espontânea vontade.
- PUBLICIDADE -