Início Região Jovens de Leme levam arte do graffiti para paredes de escola de...

Jovens de Leme levam arte do graffiti para paredes de escola de RP

- continua após a publicidade -

Crianças e adolescentes de Leme, beneficiados pelo projeto “Graffito”, estiveram em Ribeirão Preto, na última semana, para dar mais vida e cor a uma das salas da EMEF Profº José Rodini Luiz, escola sede das atividades realizadas pelo projeto “Bom de Nota, Bom de Dança”.

Eles usaram toda a técnica que vêm aprendendo com as aulas e transformaram uma das paredes em um grande painel com as iniciais do projeto de dança, além de um desenho de uma bailarina de balé sendo admirada por um menino do hip hop, em alusão às duas modalidades oferecidas pelo “Bom de Nota, Bom de Dança”. A arte também contou com a frase “Dance como puder, seja o que quiser”, sugerida por um dos alunos deste projeto.

Todo o processo de criação foi acompanhado de perto pelos participantes da iniciativa que atua em Ribeirão Preto. Depois de finalizado o trabalho, foi a vez dos alunos do “Graffito” prestigiarem alguns passos dos jovens beneficiados pelo “Bom de Nota, Bom de Dança”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

“A atividade foi uma oportunidade para que crianças e adolescentes pudessem se conhecer, trocar experiências e mostrar um pouco mais da dança e da arte. O resultado foi muito bonito e prazeroso”, comenta Letícia Molina Rodrigues, coordenadora pedagógica do “Bom de Nota, Bom de Dança”.

Sobre os projetos

Com o objetivo de levar e fomentar cultura junto às escolas, o “Graffito” oferece, gratuitamente, aulas de graffiti para 100 crianças e adolescentes de sete a 15 anos matriculados na rede municipal de ensino de Leme. Os jovens beneficiados também recebem lanche após cada aula e uniforme.

A iniciativa faz, ainda, uso da metodologia de controle de talentos, incentivando a frequência e o bom comportamento escolar.

O “Grafitto” tem o patrocínio da empresa TS Tech, por meio da renúncia fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Produtos e Serviços) garantido pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac). O projeto conta com a parceria das Escolas Estaduais Newton Prado, Profª. Altimira Pincke, Profª. Maria Joaquina de Arruda, Prof. Arlindo Favaro e das Escolas Municipais Aparecida Taufic Nassif M. Naif, Helaine Kock Gomes, Ruth Zelina e Raquel dos Anjos Marcelino. 

Já o núcleo Ribeirão Preto do “Bom de Nota, Bom de Dança” beneficia 140 crianças e adolescentes de sete a 12 anos com aulas gratuitas de balé e danças urbanas. Os pequenos também recebem uniforme, além de lanche após cada aula.

As atividades no município tiveram início em fevereiro e fazem parte do Plano Anual da Associação Pró-Esporte e Cultura (APEC), que também atende outros 630 jovens nos municípios de Batatais, Descalvado, Lins e Serrana.

O projeto conta com o apoio da FGA e é realizado com recursos de incentivo fiscal da Usina Santo Ângelo, via Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC), com o objetivo e missão de levar e fomentar a cultura na cidade, em parceria com a educação. 

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Odebrecht fez pagamentos a Toffoli, denuncia Marcelo Odebrecht à PGR

Marcelo Odebrecht e os demais diretores da empresa sempre se referiam a Toffoli como “amigo de Adriano” ou “amigo de AM (Adriano Maia)”

Gol de Bolsonaro: SBT acerta transmissão da final do carioca, Flamengo e Fluminense

O SBT alcançou a sua maior audiência na história da emissora até então com a transmissão da final da Copa do Brasil, decidida por Corinthians e Grêmio

Divirta-se com os melhores tweets do MBL tratando Ayan como um guru

Com a prisão de Luciano Ayan por suspeita de lavagem de dinheiro, separamos os melhores do tweets em que mblistas idolatram o prisioneiro.

Ribeirão Preto tem leitos sobrando na rede privada e deveria contratar com urgência

Presidente da entidade diz que hospitais de campanha são um erro estratégico e que Ribeirão Preto vive o cenário já experimentado por Manaus

Preso por lavagem de dinheiro do MBL teve cargo no governo Doria

Os presos Alessander Mônaco e Carlos A. de Moraes Afonso são investigados por ocultação de patrimônio, além de lavagem de dinheiro.
- PUBLICIDADE -