InícioPolíticaCONFIRMADO: Sérgio Moro acaba de confirmar a demissão do cargo de ministro...

CONFIRMADO: Sérgio Moro acaba de confirmar a demissão do cargo de ministro da justiça.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, entregou o cargo nesta sexta-feira (24), por divergências relativas a nomeações.

- continua após a publicidade -

O ministro da Justiça, Sergio Moro, entregou o cargo nesta sexta-feira (24) e deixou o Governo após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, ter sido publicada nesta madrugada no Diário Oficial da União

O ministro avisou o presidente que não ficaria no governo com a saída do diretor-geral, escolhido por Moro para comandar a PF.

Na avaliação de aliados de Moro, Bolsonaro atropelou de vez o ministro ao ter publicado a demissão de Valeixo durante as discussões que ainda ocorriam nos bastidores sobre a troca na PF e sua permanência no cargo de ministro.

Moro topou largar a carreira de juiz federal, que lhe deu fama de herói pela condução da Lava Jato, para virar ministro. Ele disse ter aceitado o convite de Bolsonaro, entre outras coisas, por estar “cansado de tomar bola nas costas”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Tomou posse com o discurso de que teria total autonomia e com status de superministro. Desde que assumiu, porém, acumula recuos e derrotas.

Moro se firmou como o ministro mais popular do governo Bolsonaro, com aprovação superior à do próprio presidente, segundo o Datafolha. Pesquisa realizada no início de dezembro de 2019 mostrou que 53% da população avalia como ótima/boa a gestão do ex-juiz no Ministério da Justiça. Outros 23% a consideram regular, e 21% ruim/péssima.

Quem é Sérgio Fernando Moro

(Maringá, 1 de agosto de 1972) é um jurista, ex-magistrado, professor universitário e atual ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil. Foi juiz federal da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba e professor de direito processual penal na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Maringá em 1995, concluiu o mestrado e o doutorado na Universidade Federal do Paraná.[6] Especializou-se em crimes financeiros e tornou-se juiz federal em 1996.

Nessa função, trabalhou em casos como o escândalo do Banestado e a Operação Farol da Colina. Também auxiliou, no Supremo Tribunal Federal, a ministra Rosa Weber durante o julgamento dos crimes relativos ao escândalo do Mensalão.

Moro ganhou enorme notoriedade nacional e internacional por comandar, entre março de 2014 e novembro de 2018, o julgamento em primeira instância dos crimes identificados na Operação Lava Jato que, segundo o Ministério Público Federal, é o maior caso de corrupção e lavagem de dinheiro já apurado no Brasil, envolvendo grande número de políticos, empreiteiros e empresas, como a Petrobras, a Odebrecht, entre outras.

Em 12 de julho de 2017, condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão, sendo essa a primeira vez na história do Brasil em que se condenou criminalmente um ex-presidente da República,[18] decisão esta mantida em segunda instância.
Sua atuação na condução da Lava-Jato rendeu-lhe prêmios e críticas.

Em novembro de 2018, aceitou ser Ministro da Justiça e Segurança Pública no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, tendo pedido exoneração do cargo na magistratura.

Em 20 de novembro de 2018, foi nomeado Coordenador do Grupo Técnico de Justiça, Segurança e Combate à Corrupção do Gabinete de Transição Governamental e tomou posse como ministro em 1° de janeiro de 2019.

O Ministério da Justiça acumulou responsabilidades do Ministério do Trabalho, que foi extinto no governo Bolsonaro, tais como as competências de concessões de cartas sindicais e fiscalização de condições de trabalho.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

A verdade que não contam: As picadas ainda estão em testes?

Aprovada pela ANVISA, a bula informa que os estudos do medicamento aplicado, serão conhecidos apenas em 2023. Desta forma é experimental ou não?

AstraZeneca e Janssen têm novo efeito colateral descoberto

Fraqueza nos braços e pernas, formigamentos, dormências, dores ou perda da sensação de dor, além de problemas nos sistemas urinário e digestivo.

Depois da maioria picada os casos explodem em todo mundo

Confira o resumo da aplicadas no Brasil e confira a diferença entre algo efetivo e outro ainda em estudo

Chuvas deixam 45 mil desalojados e 6,6 mil desabrigados em Minas

Nas últimas 24 horas foram registrados 10 mil desalojados

Não Me Perturbe tem quase 10 milhões de cadastros

Cansado de ligações chatas, mecanismo bloqueia chamadas de telemarketing
- PUBLICIDADE -