InícioEconomiaRibeirão Preto sedia pela primeira vez o Fórum Lide de Agronegócios

Ribeirão Preto sedia pela primeira vez o Fórum Lide de Agronegócios

- continua após a publicidade -

O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais – promove no dia 22 de setembro, o 7º Fórum Lide de Agronegócios, na cidade de Ribeirão Preto/SP, comandado pelo ministro da Agricultura (2003 a 2006), embaixador especial da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, e presidente do LIDE Agronegócios, Roberto Rodrigues. No evento, serão debatidos temas de relevância ao setor como inovação tecnológica, defesa sanitária e comércio internacional e regulação de alimentos processados. Esta será a primeira vez que o Fórum LIDE de Agronegócios será realizado em Ribeirão Preto.

Deverão participar do evento, no Hotel JP, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Eumar Novacki; o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Francisco Jardim; o prefeito de Ribeirão Preto Duarte Nogueira; o coordenador de Desenvolvimento dos Agronegócios do Estado de São Paulo José Valverde; e empresários como o presidente da BRF Pedro Parente; da John Deere Brasil Paulo Hermann; do Sicredi Jaime Basso; e o diretor região Brasil do Grupo Tereos Jacyr Costa Filho.

Também são esperados representantes de entidades como o presidente da ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentação) Wilson Mello Neto; o presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) Francisco Turra; a presidente do IBISA (Instituto Brasileiro para Inovação e Sustentabilidade no Agronegócio) Mônika Bergamaschi; a presidente da NFA (Núcleo Feminino do Agronegócio) Carmen Perez; o vice-presidente da SRB (Sociedade Rural Brasileira) Pedro de Camargo Neto; e o pesquisador da Embrapa Instrumentação Silvio Crestana.

Durante o Fórum, o Prêmio LIDE de Agronegócios vai homenagear personalidades de destaque do setor, que assumiram papel de protagonismo nos últimos anos no País. O homenageado especial será o jornalista e publicitário José Luiz Tejon Megido e, o destaque do ano, o economista e secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda (entre 1995 e 1998) e secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior da Presidência da República, em 1998, José Roberto Mendonça de Barros

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Sobre o LIDE

O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais é uma organização de caráter privado, que reúne empresários em diversos países. O LIDE debate o fortalecimento da livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social, assim como a defesa dos princípios éticos de governança corporativa no setor público e privado. Fundado no Brasil, em 2003, é formado por líderes empresariais de corporações nacionais e internacionais, que se preocupam em sensibilizar o empresariado brasileiro para a importância de seu papel na construção de uma sociedade ética, desenvolvida e consciente. Atualmente, o Grupo conta com unidades regionais, internacionais e setoriais, totalizando 28 frentes de atuação. Para informações adicionais, basta acessar: www.lideglobal.com.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

O Papa Francisco critica a prática de tratar Pets como filhos

O papa Francisco fez um apelo, nesta quarta-feira, para que pais e mães adotem crianças, e disse que “vivemos uma época de orfandade notória”.

Depois de vacinação em massa Serrana tem recorde de casos desde o inicio da pandemia

Se após 3 doses a cidade tem números maiores do que antes da vacinação, para o que serviu a vacina? Doria garantiu.

Aluno de academia morre por mau súbito.

As UPAs lotadas com gripe e corona depois de picada em massa, agora já estamos com uma pandemia pouco falada, mas será com frequência. Os efeitos.

IBGE oferece 266 mil oportunidades de emprego até 21 de janeiro

Agentes recenseadores deverão visitar 78 milhões de lares brasileiros Cerca de 78 milhões de residências brasileiras devem receber, a partir do dia 1º de agosto,...

Auxílio Brasil começa a ser pago nesta terça-feira

O custo para os pagamentos supera R$ 7,1 bilhões aos cofres do governo federal
- PUBLICIDADE -