InícioPolíticaNovo: “Quem não tomar vacina não deve frequentar espaços públicos”

Novo: “Quem não tomar vacina não deve frequentar espaços públicos”

João Amoedo, fundador do partido NOVO, defende obrigatoriedade de vacina ou impedimento de frequentar hospitais, ruas. NOVO só no nome.

- continua após a publicidade -

O fundador do Partido Novo, João Amoêdo, foi às redes sociais neste domingo (18) para realizar um comentário em torno da polêmica sobre a vacina contra a covid-19.

A temática tem sido muito discutida nas redes sociais, sobretudo após a declaração do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que na sexta-feira (16) garantiu que o imunizante será obrigatório aos 45 milhões de paulistas.

Em seu Twitter, Amoêdo afirmou que “A vida em sociedade pressupõe liberdade com responsabilidade. Quem decide não tomar vacinas, que evitam doenças contagiosas, não deveria poder frequentar espaços públicos, ruas, hospitais e escolas. E sim, permanecer isolado até que todos os demais sejam vacinados”.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Jornada do Patrimônio chega a 40 municípios em todo o Estado

Recuperando a memória sobre as ferrovias de São Paulo, evento abre as comemorações do Dia do Patrimônio Histórico

🌡️ Brasil inabitável em 50 anos? A verdade por trás do estudo da Nasa ☀️

Um estudo citado pela Nasa e liderado pelo cientista Colin Raymond prevê que, até 2070, áreas do Brasil podem se tornar inabitáveis devido ao calor extremo causado pelas mudanças climáticas.

✈️ Aposentados poderão comprar passagem aérea por até R$ 200 cada trecho 🚀

A fase inicial disponibiliza 3 milhões de passagens, com cada aposentado tendo direito a dois bilhetes por ano.

🕊️ Falecimento de Maria Sodré: Ex-Secretária de Assistência Social de Ribeirão Preto 🕊️

Maria Sodré ocupou o cargo de secretária de Assistência Social de 2009 a 2016 durante o governo de Dárcy Vera e também foi superintendente da Coderp.

🗳️ Eleições 2024: Ricardo Silva Fala Sobre Sua Candidatura 🗳️

Mas o apoio politico tem um custo, e após as eleições o governo deve ser fatiado, e colocado a disposição das legendas que apoiaram, o que otrna preocupante, pois os cargos serão ocupados por indicação politica e não por capacidade.
- PUBLICIDADE -