InícioLazer e Cultura8º Festival Fiato al Brasile recebe alunos da Alma

8º Festival Fiato al Brasile recebe alunos da Alma

- continua após a publicidade -

A música brasileira mais uma vez será celebrada no Festival Fiato al Brasile, que acontece de 4 a 12 de fevereiro, na cidade de Faenza, região Emília Romana, na Itália. Em sua 8ª edição, o festival recebe quatro alunos, além de professores e equipe gestora da Academia Livre de Música e Artes (Alma). Alunos e professores da Universidade de São Paulo (USP), do campus de Ribeirão Preto e Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) também participam.

Luana Frolini dos Santos (violino), Gilberto Ceranto (violino), Julia Montezano Palhares (contrabaixo) e Tâmisa Lanzarin (canto) são os alunos da Alma representantes do Brasil no festival internacional, que conta com programação intensa e gratuita, com participação dos professores Milton Bergo, Reginaldo Nascimento e Sara Cecília Cesca, e os gestores Dulce Neves (presidente), Lucas Galon (diretor artístico-pedagógico) e Meire Teixeira (produção).

De acordo com Dulce Neves, presidente da Alma, esta é uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional aos alunos e professores da Alma.

“A cada ano aprendemos mais com a participação no festival na Itália e posteriormente com a realização do festival no Brasil. A interação entre as culturas acrescenta muito aos alunos e professores, que enriquecem seus currículos e realizam a troca de experiências convivendo nas casas de famílias cadastradas no intercâmbio”.

O 8º Festival Fiato al Brasile Faenza é uma realização da Escola Municipal de Música G. Sarti, com apoio do Liceu Musical de Forli, Academia Livre de Música e Artes (Alma), Departamento de Música da FFCLRP-USP (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto), e Udesc (Universidade Estadual de Santa Catarina). A direção do festival é realizada pela professora Martina Drudi (Sarti) e pelo idealizador do evento José Gustavo Julião de Camargo (USP).

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O festival também acontece em Ribeirão Preto em agosto, sendo a produção realizada pela Alma, em parceria com o NAP-CIPEM (Núcleo de Pesquisa em Ciências da Performance em Música) da FFCLRP-USP – projeto de Lucas Eduardo da Silvas Galon, Dulce Neves e do Prof. Dr. Fernando Crespo Corvisier, responsável pelo convênio acadêmico que mantêm ensino de excelência e formação em música, dança e teatro a jovens talentos na Região de Ribeirão Preto.

A experiência do festival é profunda e agrega estreias de composições, intercâmbio artístico-cultural, encontros, conferências, concertos e vivência profissional a jovens músicos.

Intercâmbio artístico

Durante o Festival Fiato al Brasile, alunos de música da USP de Ribeirão Preto, UDESC (Universidade Estadual de Santa Catarina) e Alma são beneficiados com aulas especiais e concertos, que garantem o aperfeiçoamento curricular. Na Itália, os alunos ficam hospedados em casas de famílias italianas e vivenciam seus cotidianos, em um aprendizado de novos costumes e estreitamento de laços.

Destaca-se ainda o apoio da Associazione per i Gemellaggi com il Comune di Faenza, cujo objetivo é tratar das relações institucionais com as cidades-irmãs – caso de Ribeirão Preto, que possui a lei 13.881, de 2 de setembro de 2016, instituindo o gemellaggio, com objetivo de firmar convênios e parcerias nos âmbitos científico, artístico-cultural e de ensino.

A programação completa do 8º Festival Fiato al Brasile está disponível no site da Escola Sarti, no endereço – www.scuolasarti.it -.

Em 2019, as atividades da Alma serão mantidas pelo Programa de Ação Cultural – ProAC/ICMS, do Governo de São Paulo, com patrocínios da Usina Alta Mogiana, Ambient, GasBrasiliano, Santa Helena Alimentos, Grupo São Francisco, Interunion e Tonin.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

A verdade que não contam: As picadas ainda estão em testes?

Aprovada pela ANVISA, a bula informa que os estudos do medicamento aplicado, serão conhecidos apenas em 2023. Desta forma é experimental ou não?

AstraZeneca e Janssen têm novo efeito colateral descoberto

Fraqueza nos braços e pernas, formigamentos, dormências, dores ou perda da sensação de dor, além de problemas nos sistemas urinário e digestivo.

Depois da maioria picada os casos explodem em todo mundo

Confira o resumo da aplicadas no Brasil e confira a diferença entre algo efetivo e outro ainda em estudo

Chuvas deixam 45 mil desalojados e 6,6 mil desabrigados em Minas

Nas últimas 24 horas foram registrados 10 mil desalojados

Não Me Perturbe tem quase 10 milhões de cadastros

Cansado de ligações chatas, mecanismo bloqueia chamadas de telemarketing
- PUBLICIDADE -