Início Educação Pobres funcionários públicos: Só na USP Dois mil recebem salários acima do...

Pobres funcionários públicos: Só na USP Dois mil recebem salários acima do permitido por lei

- continua após a publicidade -

A divulgação da folha de pagamento da USP mostra as distorções nos salários. Dois mil funcionários ganham mais do que o governador de São Paulo. Um professor aposentado chega a receber três vezes mais: R$ 60 mil.

E a conta da USP não está fechando. No primeiro semestre, a universidade recebeu do estado R$ 2,150 bilhões e gastou R$ 2,270 bilhões com pessoal.

Os salários de professores e funcionários consomem 105% do orçamento da USP. Desde segunda-feira (17), quem quiser pode se inscrever no programa de demissão voluntária. E, em nome da transparência, a reitoria publicou na internet os vencimentos brutos e líquidos de todos os servidores.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

“Eu acho que uma pessoa que estudou toda uma vida e tem uma contribuição muito grande, essa pessoa tem que ser muito bem remunerada”, diz Tadeu Cendon, universitário.

Foto divulgação

“Foi importante inclusive para ver muito professor que não é tão bom assim ganhando muito bem e professores que dão uma aula ótima ganhando menos, então é bem importante”, afirma Vitor Pereira, universitário.

O Sindicato dos Trabalhadores da USP também espera que a publicação sirva para corrigir distorções. “Ajuda a gente ver quem teve privilégios ou não dentro da universidade. Que tem uns técnicos administrativos que estão ganhando R$ 30 mil, outros estão ganhando R$ 5 mil”, afirma Solange Veloso, diretora do Sindicato dos Trabalhadores da USP.

Esse salário de R$ 30 mil pode estar mesmo com os dias contados. A legislação impõe um teto aos vencimentos dos professores e funcionários da USP. Esse teto é o salário do governador paulista, que recebe R$ 20.622 por mês.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A divulgação da lista mostrou que, dos 29 mil servidores da universidade, 2 mil estão ganhando acima disso. O maior salário, de um professor aposentado, passa de R$ 60 mil.

A reitoria diz que cumpre a lei e, se a Justiça determinar, vai cortar os valores.

“Como nós estamos obedecendo as decisões judiciais até agora, nós vamos aguardar uma decisão do Supremo. Se o Supremo interpretar de uma maneira diferente e decidir de uma maneira diferente, nós vamos cumprir”, diz Vahan Agopyan, vice-reitor da USP.

A Associação dos Professores defende que o teto não seja o salário do governador.

“Dezessete estados da Federação já adotaram o teto único, vinculado aos desembargadores do Tribunal de Justiça. É preciso que isso ocorra em São Paulo, porque você já tem o salário que é modesto e daí cortam o seu salário de uma forma inadequada, sem dúvida nenhuma você cria um desestímulo para gente continuar mantendo gente com competência em uma universidade que tem a relevância que a Universidade de São Paulo tem”, afirma Ciro Correia, presidente da Associação dos Docentes da USP.

 

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Iguatemi anuncia 1ª edição do projeto Iguatemi Kids por O Pequeno Colecionador

A iniciativa tem o objetivo de conectar as famílias por meio da cultura e do fazer artístico.

Ribeirão Rodeo Music anuncia data da edição 2021 e programação com grandes nomes do universo sertanejo

O evento, que acontecerá entre os dias 17 e 24 de abril, terá Marília Mendonça, Zé Neto & Cristiano, Gusttavo Lima entre outras atrações de destaque

Pelé representou “o talento absoluto do futebol brasileiro”

Aniversário do Pelé: rei do futebol completa 80 anos neste dia 23 de outubro

Apoiado pelo Papa Francisco, Cartórios de São Paulo registraram quase 24 mil uniões civis homoafetivas

Os números divulgados pelo IBGE mostram que os casamentos homoafetivos vem aumentando ano a ano desde sua regulamentação, com crescimento ainda mais considerável nos últimos anos

Vanderley Caixe (PC do B) tem candidatura cancelada

Essa foi a terceira impugnação imposta pela Justiça Eleitoral.