Início Região Tremores em Jurupema os motivos são ainda desconhecidos

Tremores em Jurupema os motivos são ainda desconhecidos

- continua após a publicidade -

Luisinho enviou pedidos para pelo menos quatro universidades que pudessem se interessar pelas pesquisas no distrito.
A boa notícia é que o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP) atendeu ao pedido formal.
Para isso, o Legislativo contou a colaboração do empresário Leonardo Olivério, da Hydra Consultoria, que já tinha contato com o pessoal da USP, precisamente com o técnico em sismologia José Roberto Barbosa.

Há 41 anos na instituição – e há 37 anos lidando com tremores de terra –, o professor Barbosa é um especialista que “põe a mão na massa”.
Já instalou uma rede de sismógrafos ao redor de Jurupema.
Discreto e metódico, como convém a todo pesquisador, ele trabalha ao lado da esposa, Cleusa Aparecida de Campos Barbosa.
No último dia 13, Luisinho foi ver a instalação de mais um desses equipamentos, que servem para medir a intensidade e a frequência dos tremores.

“O objetivo é descobrir o motivo dos abalos e oferecer uma explicação aos moradores. Não só eles, mas todos nós ficamos preocupados”,

afirmou o presidente da Câmara.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Para o alívio de todos, a última movimentação de terra perceptível ocorreu em 19 de abril, após uma temporada de bastante desconforto para a população.

A gente sentia até tontura. A sensação é horrível”, diz Leonardo, que não acredita na ocorrência de um abalo de maior proporção, capaz de causar estragos.
Os fenômenos foram até objeto de investigação da Polícia Civil, conforme relatório enviado à Câmara.
O resultado das apurações indica não há atividades de mineração no local, conforme demonstrou a única pedreira existente na região, que ainda não iniciou a exploração comercial com o uso de explosivos.
Leonardo participou da sessão itinerante realizada em Jurupema na segunda-feira, 16 de maio. Ele explicou, na tribuna livre, que já há três sismógrafos em operação e outros dois deverão entrar em funcionamento até o fim de semana. Eles têm o poder de captar microtemores e enviar as informações em tempo real para a sede a IAG, na capital paulista.

Acomodação das placas tectônicas.
Por enquanto, esta é a hipótese mais provável.  A rede sismográfica montada pela USP no distrito poderá comprovar essas evidências, a partir dos tipos de abalo que forem detectados.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Com febre, Bolsonaro faz exame de Covid-19 e toma hidroxicloroquina

Presidente revelou que tem tido febre de 38ºC e fez radiografia de pulmão. Agenda desta terça-feira foi cancelada

Governo amplia vetos na lei que torna obrigatório o uso de máscara

Esses dispositivos vetados pelo presidente Jair Bolsonaro, poderiam ferir a inviolabilidade do domicílio privado.

Comunicado do Sindicato dos Servidores sobre presidente da ACIRP

Estranhamente, o líder empresarial entende que sua classe está sendo atingida por medidas determinadas por Antônio ou por João, mas, por receio ou conveniência, decide combater José.

Secretário do Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo acredita em melhora na economia da região no segundo semestre

No Webinar Avança 016 realizado pela Amcham, Marco Vinholi falou sobre expectativas para a retomada na região

Estado de SP tem queda de mortes por coronavírus pela 2ª semana seguida

Taxa de letalidade também caiu para 5% e é a menor já registrada desde o início da pandemia; dados apontam tendência de achatamento de curva
- PUBLICIDADE -