Início Política O santo do pau oco? Justiça bloqueia 41 milhões de Léo Oliveira

O santo do pau oco? Justiça bloqueia 41 milhões de Léo Oliveira

Valor corresponde ao prejuízo total aos cofres públicos

- continua após a publicidade -

A pedido do Ministério Público, a Justiça de Ribeirão Preto determinou o bloqueio bens do deputado estadual Léo Oliveira (MDB), denunciado pela Operação Sevandija por supostamente integrar o esquema de corrupção apurado no âmbito da operação Sevandija.

O esquema teria ocorrido entre janeiro de 2012 até dezembro de 2014. Oliveira é acusado por corrupção passiva e organização criminosa e,se condenado, está sujeito a uma pena de até 14 anos de prisão, além de multa e a restituição dos valores. Além dele, outras oito pessoas foram denunciadas pelo MP.

De acordo com o promotor Walter Manoel Lopes, Léo Oliveira integrou o esquema de indicações políticas para cargos terceirizados. As contratações, a pedido da prefeita Dárcy Vera, eram feitas pela empresa Atmosphera.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Em nota, Léo Oliveira informou que todos os bens dele têm origem legal e que está à disposição da Justiça.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Avenida Antônia Mugnatto Marincek recebe novas adequação

Via foi duplicada em mais de quatro quilômetros, recebeu ciclovia, cerca de 50 pontos de acessibilidade e nova sinalização

Construção da UPA do Ribeirão Verde tem local definido

A área institucional com 7.107 metros quadrados, além de melhor localizada, atende os requisitos necessários para construção da unidade de saúde.

INSS divulga calendário de pagamentos de benefícios em 2021

A autarquia divulgou o calendário de depósitos para todo o próximo ano.

Ministério vai buscar vacina de excelência, diz Pazuello no Congresso

Ele reafirmou que a população não será obrigada a se imunizar contra Coronavírus

Após 40 anos USP busca voluntários para testar vacina contra HIV

Estudo é desenvolvido em cooperação com instituições de outros países, 32,7 milhões morreram com a doença.