InícioPolíticaEm meio a "crise" Bolsonaro e Moro vão a estádio e são...

Em meio a “crise” Bolsonaro e Moro vão a estádio e são ovacionados

- continua após a publicidade -

Palmeirense confesso, Bolsonaro vestiu a camisa do time rubro-negro entregue por um torcedor que se localizava na arquibancada. Já o vice-presidente Hamilton Mourão usava um casaco da Seleção Brasileira por cima da camisa do Flamengo.

Em foto publicada pelo Flamengo no Twitter, Sergio Moro aparece ao lado de Bolsonaro. O ministro, no entanto, preferiu a formalidade e assistiu ao confronto de terno e gravata.

Em seu momento mais delicado à frente do Ministério da Justiça, Sergio Moro e a equipe da lava jato foram hackeados criminosamente por um americano, esposo de um deputado do PSOL, que obteve uma votação irrisoria, e entrou no lugar do fujão jean wyllys.

Em meio a esta grave crise, Bolsonaro, Moro e sua equipe continuam se alimentando, dormindo e comandando um pais, para a esquerda estes fatos são INACEITÁVEIS.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Mas o ladrão Lula, julgado por quase duas dezenas de juízes de diferentes instâncias, continua sendo inocente.
O CINISMO é inacreditável.

 

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -