InícioPolíticaDelegado da PF que patrimônio de Flávio Bolsonaro era compatível com...

Delegado da PF que patrimônio de Flávio Bolsonaro era compatível com renda

No inquérito, a PF não viu indícios de crimes cometidos por Flávio, como mostrou a Folha em fevereiro. La vem uma nova narrativa.

- continua após a publicidade -

No relatório do inquérito eleitoral sobre Flávio Bolsonaro, o delegado da Polícia Federal Erick Blatt, do Rio de Janeiro, afirmou que a “renda do investigado na época (2014) era compatível com os bens declarados e que não houve evolução patrimonial significativa entre 2012 e 2014″

No inquérito, a PF não viu indícios de crimes cometidos por Flávio, como mostrou a Folha em fevereiro. A investigação foi aberta para apurar suspeita de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, no âmbito eleitoral.

Blatt, que foi o segundo delegado a tocar o caso, disse no relatório que não havia motivo para investigar lavagem, por não haver um crime antecedente apto a produzir receita.

O policial destacou em sua conclusão que sua investigação tratava apenas de questões eleitorais e que nada tinha a ver com a da rachadinha, que já estava nas mãos do Ministério Público do Rio. Basicamente, seu objetivo era saber se o político havia mentido em sua declaração de bens em 2014, omitindo algum imóvel.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -