InícioClimaMais frio que no Alasca a madrugada mais fria em cinco anos...

Mais frio que no Alasca a madrugada mais fria em cinco anos 5ºC

- continua após a publicidade -

Depois de ter registrado a madrugada mais fria em cinco anos nesta segunda-feira (13), Ribeirão Preto superou mais uma estatística. ÀS 6h, os termômetros marcavam 5°C – temperatura mais baixa que o Alasca (Estados Unidos), estado conhecido pelo intenso frio.

Aqueles que foram obrigados a sair pela manha, para trabalhar ou estudar tiveram que reforçar na roupa de frio, para tentar se aquecer.

Muitas pessoas até compraram luvas e tocas para encarar as baixas temperaturas.

A muitos anos não vemos o frio por duas semanas seguidas.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Segue o frio

De acordo com o Climatempo, o frio continua sendo marca registrada dos próximos dias, com temperaturas que variam entre 9°C e 25°C. No entanto, não há previsão de chuva.

2

Reclamamos sempre do calor mas a previsão para os próximos dias tem mínima de 7º.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Oficinas e cursos gratuitos em Ribeirão Preto

Há oportunidades para atividades de música, dança, teatro, artes plásticas e circenses. Confira vagas por unidade e saiba como fazer a inscrição.

240 oportunidades de emprego em Ribeirão e Sertãozinho

Entre as vagas há opções como ajudante de produção, auxiliar administrativo, motorista, vendedor, cuidador de idosos, padeiro, cabeleireiro e manicure.

A economia a “gente vê depois” leva mais de 2 milhões a extrema pobreza

Pelo menos 2 milhões de famílias brasileiras tiveram a renda reduzida e caíram para a extrema pobreza entre janeiro de 2019 e junho deste...

Quem foi vacinado com coronavac continua proibido de entrar em países que aceitam turistas

A santa medicação do Doria, continua proibida em vários países que já abriram suas fronteiras. E como ficam os imunizados que precisam viajar?

‘Sofrimento global’ faz buscas por ajuda emocional e prevenção ao suicídio aumentarem

Psicológicos relatam aumento de transtornos alimentares e psicológicos na pandemia e falam em ‘crises potencializadas’; Centro de Valorização da Vida registrou 147 mil atendimentos a mais apenas em 2020
- PUBLICIDADE -