InícioSaúdeBrasil registra 1.434 casos de bebês com microcefalia

Brasil registra 1.434 casos de bebês com microcefalia

- continua após a publicidade -

Boletim divulgado hoje (24) pelo Ministério da Saúde confirma que 1.434 bebês nasceram com microcefalia e outras alterações no sistema nervoso devido a infecção congênita. Desses, 1.273 estão na Região Nordeste.
Dos 1.434 casos, 208 foram confirmados por exame de laboratório para infecção pelo vírus Zika. Porém, o ministério estima que a maioria dos casos está relacionada ao Zika.

Ao todo, os casos confirmados são 50 a mais em comparação ao boletim da semana passada. Ainda não há diagnóstico conclusivo para 3.257 recém-nascidos que podem ter a malformação.

Os 1.434 casos confirmados estão distribuídos por 517 municípios, localizados em 25 unidades da Federação.

Os números são referentes ao período de outubro de 2015 a 21 de maio de 2016, quando foram registrados 7.623 casos suspeitos. Deste total, 2.932 foram descartados por terem exames normais ou microcefalia derivada de outras causas.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

No mesmo período, foram registradas 285 mortes suspeitas de microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto ou durante a gestação (abortamento ou natimorto) no país. Desses, 60 foram confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 187 continuam em investigação e 38 foram descartados.

Zika

Transmitido por um mosquito bem conhecido dos brasileiros, o Aedes aegypti, o vírus Zika começou a circular no Brasil em 2014, mas teve os primeiros registros feitos pelo Ministério da Saúde em maio de 2015. O que se sabia sobre a doença, até o segundo semestre do ano passado, era que sua evolução costumava ser benigna e que os sintomas, geralmente erupção cutânea, fadiga, dores nas articulações e conjuntivite, além de febre baixa, eram mais leves do que os da dengue e da febre chikungunya, também transmitidas pelo mesmo mosquito.

Porém, em outubro de 2015, exame feito pela médica especialista em medicina fetal, Adriana Melo, descobriu a presença do vírus no líquido amniótico de um bebê com microcefalia. Em 28 de novembro, o Ministério da Saúde confirmou que, quando gestantes são infectadas pelo vírus podem gerar crianças com microcefalia, uma malformação irreversível do cérebro que pode vir associada a danos mentais, visuais e auditivos. Pesquisadores confirmaram que a Síndrome de Guillain-Barré também pode ser ocasionada pelo Zika.

A microcefalia pode ter como causa diversos agentes infecciosos, além do Zika, como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

Pesquisa do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) encontrou, pela primeira vez, mosquitos do Aedes aegypti infectados pelo vírus Zika na natureza, o que prova que o inseto é o transmissor da doença.

 

 

Fonte agencia Brasil

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Cuidado com eliminação da seleção o corona esta liberado para infectar novamente

Com o fim do circo a globo agora voltara a colocar panico na sociedade para voltar a ser centro das atenções entre os imbecis.

Lula anuncia cinco ministros do novo governo

Fernando Haddad e Flávio Dino estão entre os nomes

Brasil tenta manter escrita diante da Croácia para chegar à semifinal

Seleção brasileira nunca perdeu para a equipe europeia em uma Copa

Hoje tem jogo da seleção e bancos alteram horarios; Confira

A partir das 12 horas, Seleção Brasileira entra em capo para enfrentar a Croácia, em jogo válido pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2022

Sextou: Veja a programação do fim de semana

diversos gêneros musicais, apresentações natalinas, peças teatrais, visitação a museus e varios eventos para todas idades incluindo gratuito
- PUBLICIDADE -