InícioPolíticaPaulo Betti chama Adélio de ‘desgraçado’ por não ter esfaqueado Bolsonaro ‘corretamente’

Paulo Betti chama Adélio de ‘desgraçado’ por não ter esfaqueado Bolsonaro ‘corretamente’

Ator da Rede Globo de Televisão lamenta desfecho do atentado contra o então candidato a presidente

- continua após a publicidade -

Em setembro de 2018, Adélio Bispo foi responsável por dar “uma facada de maneira mais ou menos correta” em Jair Bolsonaro, então candidato a presidente da República.

Ao relembrar o caso, o ator Paulo Betti pareceu lamentar que o acidente “não [foi] total”.

Foto Divulgação

Dessa forma, o artista que integra o quadro de colaboradores da Rede Globo de Televisão chamou o autor da facada de “desgraçado”. A fala foi dita pelo ator durante entrevista em vídeo para o portal UOL. O conteúdo foi divulgado na quarta-feira, 31 de setembro.

Betti garantiu que a esquerda precisa reconhecer que falhou “muito” no decorrer dos últimos anos.

“Se tivéssemos realmente plantado alguma coisa sólida, ela não se desmancharia de uma forma tão fácil”, disse o ator.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -