Início Política Fake do G1: "Manifestantes pró-Bolsonaro exibem símbolo usado por neonazistas"

Fake do G1: “Manifestantes pró-Bolsonaro exibem símbolo usado por neonazistas”

"Essa bandeira rubro-negra é uma bandeira histórica que significa a terra fértil da Ucrânia, com a faixa negra, e [a vermelha] o sangue que ucranianos durante séculos derramaram na luta pela nossa soberania, liberdade e independência"

- continua após a publicidade -

G1/SP

Apoiadores do governo Bolsonaro exibem bandeira preta e vermelha com símbolo que também é usado por grupo de extrema direita ucraniano durante manifestação na Avenida Paulista, região central da cidade

A polícia vai apurar se a presença de bandeiras com símbolos também usados por neonazistas foi o estopim para o confronto entre manifestantes pró-democracia e pró-Bolsonaro, neste domingo (31), na Avenida Paulista, Centro de São Paulo.

Fake deste jornal de propriedade da Globo

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Bandeira e símbolo

As bandeiras vistas na Paulista com o símbolo ucraniano, no entanto, não são consideradas neonazistas.

O embaixador da Ucrânia no Brasil, Rostyslav Tronenko, disse que a bandeira usada por manifestantes no protesto na Avenida Paulista, em São Paulo, não é nazista nem fascista, como circula nas redes sociais. O uso do símbolo por alguns manifestantes foi citado como possível causa para o início da confusão que terminou em confronto entre manifestantes e policiais militares na tarde deste domingo (31).

“Essa bandeira rubro-negra é uma bandeira histórica que significa a terra fértil da Ucrânia, com a faixa negra, e [a vermelha] o sangue que ucranianos durante séculos derramaram na luta pela nossa soberania, liberdade e independência”, disse.

O tridente, segundo o embaixador, “é símbolo do príncipe Vladimir, do século 10, que trouxe o cristianismo à Ucrânia e esse tridente significa a santíssima trindade”, disse.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O representante diplomático fez uma breve crítica aos veículos de imprensa que fazem um ataque aos símbolos nacionais sem uma apuração sobre seus significados e pediu que a mídia brasileira tenha um cuidado maior.

– Nós não concordamos com algumas interpretações da mídia brasileira da nossa história e dos nossos símbolos. Pra nós ucranianos esses símbolos são sagrados. Por isso, eu apelo para a mídia brasileira para ver o contexto, o significado verdadeiro desses símbolos e não interpretá-lo deliberadamente assim como fazem as redes sociais – completou.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Datena é internado em São Paulo depois de sentir dores no peito

Foi ao centro cirúrgico do Sírio-Libanês Publicou vídeo em seu perfil do Twitter

Atividades inéditas na programação virtual do Museu Casa de Portinari

Entre 26 e 31 de outubro, o Museu Casa de Portinari, promove atividades inéditas pelas redes sociais e site.

Fies: inscrições para vagas remanescentes são retomadas hoje

Há 50 mil inscrições não preenchidas nas edições de 2020

Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial

Hoje, o pagamento será feito para 1,6 milhão de pessoas. No total, serão R$ 420,2 milhões a serem liberados.

Iguatemi anuncia 1ª edição do projeto Iguatemi Kids por O Pequeno Colecionador

A iniciativa tem o objetivo de conectar as famílias por meio da cultura e do fazer artístico.