Início Especiais João Rock Com público de 55 mil pessoas, João Rock tem edição 2017 marcada...

Com público de 55 mil pessoas, João Rock tem edição 2017 marcada por encontros e retorno de Pitty aos palcos

- continua após a publicidade -

A 16ª edição do João Rock, realizada no último sábado, 10 de junho, em Ribeirão Preto, reuniu mais de 55 mil pessoas no Parque Permanente de Exposições da cidade.

O palco João Rock começou com os dois grupos vencedores do Concurso de Bandas do evento, NDK, de Jundiaí e Machete Bomb, de Curitiba, que se apresentando individualmente e depois em conjunto. A programação seguiu com Armandinho, que trouxe o reggae de Porto Alegre para o evento. “Com esse estilo queremos passar uma mensagem bacana para as pessoas de positividade, de fé”, disse o cantor, que ainda aproveitou e assistiu ao show de Alceu Valença no Palco Brasil o qual descreveu como “um dos melhores shows da minha vida”.

Humberto Gessinger tocou clássicos que fizeram sucesso com a banda Engenheiros do Hawaii, como “Infinita Highway”, “Dom Quixote”, “Pra ser sincero” e outros. Um dos pontos altos do show foi a participação de Dinho Ouro Preto, da banda Capital Inicial, cantando a música “Olhos Certos”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Nando Reis apresentou seu show Jardim Pomar que misturou músicas do último CD como “Só Posso dizer” que foram acompanhadas pelo público como “Marvin”, “Relicário”, “Do seu Lado” e “Sutilmente”.

A programação seguiu com os veteranos do festival, CPM 22. O show teve um gosto especial para Martin, de 5 anos, filho do guitarrista Luciano que comemorou seu aniversário junto com a banda no palco com direito a parabéns, cantado por todo o público.

Um dos momentos mais aguardados da edição, o retorno de Pitty aos palcos depois da maternidade, agitou a galera. A baiana mostrou que, não só está com os vocais afinados, mas também com a energia de sempre. A cantora relembrou clássicos de toda a sua carreira como “Na Sua Estante”, “Equalize”, “Me adora”, “Máscara”, “Serpente” e “De um Rolê” – que foi tema de abertura da novela Rock Story. “É um orgulho e uma honra, depois de tudo estar aqui nesse palco de volta”, declarou.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Capital Inicial começou em tom político nos palcos do João Rock acompanhado pelo público que refletiu cantando “Que país é esse?”. Dinho ainda prestou homenagem ao músico Chorão e à banda Charlie Brown Jr. cantando as músicas “Proibida Pra Mim” e “Me encontra”.

O palco João Rock ainda recebeu O Rappa, que neste ano está em sua última turnê. Encerrando o Festival, Emicida cantou e convidou Vanessa da Mata, Rico Dalasam, Raphão Alaafin, Muzzike, Drik Barbosa e Coruja BC1 para participações especiais. Outro encontro que surpreendeu o público foi com a cantora Pitty, que cantou a música “Hoje Cedo“ ao lado de Emicida. Outro momento alto do show foi a apresentação da música Mandume com a participação de todos os convidados.

Uma homenagem ao Nordeste

Com a participação de artistas vindos da parte alta do Brasil, o Palco Brasil – edição Nordeste trouxe um mix de nostalgia e clássicos da cultura nordestina. Zé Ramalho abriu seu show com “Beira Mar”, “Taxi Lunar” e “Chão de Giz” sendo acompanhando pelo público. “É um prazer estar de volta ao João Rock. Este lugar de uma energia muito boa. Festival da música, da alegria e da amizade.”, declarou

Uma verdadeira sintonia com o público. Assim pode ser resumido o show de Alceu Valença em sua primeira apresentação no João Rock. No repertório, “Galopango”, “Anjo de Fogo”, “Anunciação”, “Morena Tropicana”, e outros sucessos.

“O rock está mais vivo do que nunca? Sim!”. E assim Lenine abriu seu show. O cantor aproveitou a oportunidade e assistiu Alceu Valença, que nunca tinha tido a oportunidade de ver. “O Festival é importantíssimo, acontecendo principalmente nesta região, onde existe uma predominância da música sertaneja. Tem a importância também de aglutinar num período muito curto muitas bandas”, disse.

Encerrando o palco, a banda Nação Zumbi levou o público ao delírio com “Macaratu Atômico”, “Quando a Maré Encher” e “Manguetown”. “É muito legal retornar e ver que a estrutura aumenta a cada edição. Não só pelas bandas que participam como também pela organização e público”, disse o vocalista Jorge dü Peixe.

Para fortalecer a cena

Trazendo e ressaltando a cena independente do rock nacional, no palco Fortalecendo a Cena passaram as vozes das bandas Selvagens à Procura da Lei, Medulla, 3030, Cidades Verdes Sounds e Haikaiss.

Esporte e outras atividades

O João Rock 2017 ainda contou com a sua tradicional arena de esportes radicais com a pista de skate, onde o campeão mundial Mineirinho marcou presença e chamou a atenção do público com manobras ousadas. O Festival também teve voo cativo de balão e a oportunidade ao público para fazer tatuagens em um estúdio rotativo.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Se­gre­gação: Ma­ga­zine Luiza só contratará ne­gros

Imagine uma loja dizendo “não contratamos negros, apenas brancos”. Isso é crime!, lei 7.716/89 art. 4º,§ 1º.

Lives do final de semana (19 e 20 de setembro)

Os shows presenciais e casas noturnas ainda estão proibidas, então a opção e separar a bebida e os petiscos e escolher a melhor opção

Nasce o Aliança o partido de Bolsonaro

Confira os documentos de petição e despacho. Vem ai o partido de direita que a esquerda tanto teme.

Hospital de Câncer de Ribeirão Preto inicia campanha para compra de novo mamógrafo

Equipamento atual tem mais de 10 anos e precisa de constantes manutenções que tem alto custo

Quais interesses estão em jogo? Lincoln Fernandes é mais um a desistir da prefeitura

Algo estranho e forças ocultas estão agindo nos bastidores, normalmente a luta é para ser candidato, mas este ano vários abandonam o barco. A pergunta é quais interesses?