InícioDiversãoBaresLugar de mulher também é no boteco

Lugar de mulher também é no boteco

- continua após a publicidade -

Cada vez mais, as mulheres vêm dominando não apenas as mesas dos bares, mas também o comando dos botecos. Dos 19 bares participantes do concurso Comida di Buteco em Ribeirão Preto, pelo menos metade deles tem mulheres no comando ou ajudando a administrar o bar.

Andréia Fernanda Mariotini e Carmem Silvia Garcia, quiseram ter um negócio próprio e a oportunidade apareceu quando a financeira onde elas trabalhavam fechou. O dinheiro que tinham dava só para comprar um bar e foi o que fizeram.

“Não tínhamos experiência nenhuma com boteco, mas assumimos o risco e compramos, com a cara e com a coragem”, conta Carmen.

No bar, a equipe é toda composta por mulheres, na cozinha, no atendimento, no balcão e na administração. Andréia conta que elas nunca sofreram preconceito e que seu público é bem eclético, formado tanto por homens, como por mulheres, de diversas idades e várias classes sociais.

“O ambiente do boteco é democrático. Aqui, temos clientes mulheres, solteiras e casadas, que chegam no bar, muitas vezes sozinhas, sentam no balcão, pedem uma cerveja e se sentem super a vontade. Uma cena que há algum tempo atrás não era tão comum de se ver”, conta Andreia.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Contagens feitas através das cédulas de votação durante o período do Comida di Buteco em 2016, mostraram que elas são 53% do público. Ou seja, mais da metade do povo botequeiro e que ama apreciar um tira-gosto enquanto toma sua bebida geladinha no boteco, jogando conversa fora, é feminino.

“É uma mudança de paradigma. Se você pensar, há 20 anos tratava-se de um universo completamente masculino e sem espaço para as mulheres. E ficamos felizes pois sabemos que o concurso contribui para essa democratização do espaço. Cada vez mais mulheres também aderem à leveza de estar em um local onde possam sentir-se à vontade, principalmente depois do trabalho. O boteco é para todos”, afirma Mariana Silveira, coordenadora regional do Comida di Buteco.

Para a publicitária Gisele Calegari, botequeira de carteirinha e que há 4 anos frequenta o Comida di Buteco, lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive no bar.

“Essa conversa de que mulher não bebe e que não pode ir no bar sozinha é ultrapassada. Eu e minhas amigas adoramos uma rodinha para bater papo, gostamos de cerveja e achamos que boteco é lugar de mulher sim. Não tem programa melhor que reunir a mulherada em uma mesa de bar”, conta Gisele.

Em Ribeirão Preto, entre os dias 14 de abril a 7 de maio, 19 bares que criaram petiscos exclusivos, passarão pelo crivo do público e de um corpo de jurados, que vai eleger o melhor buteco da cidade. Cada concorrente será avaliado em 4 categorias (petisco, atendimento, higiene e temperatura da bebida. O petisco leva 70% do peso da nota e as demais categorias 10% cada uma. O voto do público vale 50% do peso total e dos jurados 50%. Pelo segundo ano consecutivo, os petiscos terão o preço máximo de R$ 25,90, desafiando os butecos a serem criativos e acessíveis, não perdendo uma de suas características mais importantes: serem democráticos.

Para conhecer os botecos participantes da edição 2017 basta acessar o site oficial do evento: www.comidadibuteco.com.br ou instale o aplicativo do Comida di Buteco e tenha sempre à mão as informações sobre o concurso: nomes e endereço dos bares, fotos e descrição dos pratos e mapas de localização.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -