Início Blogs Qual a origem do Dia de Todos os Santos?

Qual a origem do Dia de Todos os Santos?

A data foi mudada para novembro quando o Papa Gregório III (731-741) dedicou uma capela em Roma a Todos-os-Santos

- continua após a publicidade -

Segundo estudiosos, o Dia de Todos os Santos teve a origem no Halloween.

No antigo costume celta, se supunha que os mortos vinham à terra visitar seus familiares na noite do dia 31 de outubro e por isso, a origem das fantasias, abóboras iluminadas e as caveiras, que tinham o intuito de afastar os visitantes do além.

Com a proximidade dos celtas com o cristinismo, essas práticas pagãs foram “cristianizadas” pela Igreja Católica, que criou a festa de Todos os Santos no dia 1º de novembro para espantar os maus espíritos para purificar o ambiente e celebrar a festa de todos os Santos, assim como o Dia de Finados, comemorado no dia 2 de forma pura e livre dos espíritos maus.

Então, a Festa de Todos os Santos se tornou uma festa em honra a todos os santos, conhecidos e desconhecidos. 

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

No fim do segundo século, professos cristãos começaram a honrar os que haviam sido martirizados por causa da sua fé e, achando que eles já estavam com Cristo no céu, oravam a eles para que intercedessem a seu favor. A comemoração regular começou quando, em 13 de maio de 609 ou 610, o Papa Bonifácio IV dedicou o Panteão (o templo romano em honra a todos os deuses) a Maria e a todos os mártires. Markale comenta:

“Os deuses romanos cederam seu lugar aos santos da religião vitoriosa.”

A data foi mudada para novembro quando o Papa Gregório III (731-741) dedicou uma capela em Roma a Todos-os-Santos e ordenou que eles fossem homenageados em 1.° de novembro.

Não se sabe ao certo por que ele fez isso, mas pode ter sido porque já se comemorava um feriado parecido, na mesma data, na Inglaterra. A Enciclopédia da Religião afirma:

“O Samhain continuou a ser uma festa popular entre os povos celtas durante todo o tempo da cristianização da Grã-Bretanha. A Igreja britânica tentou desviar esse interesse em costumes pagãos acrescentando uma comemoração cristã ao calendário, na mesma data do Samhain. É possível que a comemoração britânica medieval do Dia de Todos-os-Santos tenha sido o ponto de partida para a popularização dessa festividade em toda a Igreja cristã.”

Igreja de Santo Antônio nos Campos Eliseos

A Igreja Católica celebra a Festum Omnium Sanctorum (Festa de Todos-os-Santos) a 1 de novembro que é seguido pelo dia dos fiéis defuntos a 2 de novembro.

A Igreja Ortodoxa celebra esta festividade no primeiro domingo depois do Pentecostes, fechando a época litúrgica da Páscoa, tal como a Igreja Católica Oriental.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A Igreja Anglicana também celebra o dia de Todos os Santos com o mesmo significado que nas Igrejas Católica e Ortodoxa.

Na Igreja Luterana, o dia é celebrado principalmente para lembrar que todas as pessoas batizadas são santas e também aquelas pessoas que faleceram no ano que passou, pelo que o significado da celebração também é quase idêntico ao de outras igrejas cristãs.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Ribeirão Preto deve ir para fase verde caso o deus de calça justa não mude as regras

Com o novo anormal, qualquer migalha oferecida pelos governantes são motivo de agradecimento.

Congresso de Líderes Cristãos terá uma nova edição com o tema “É tempo de superar”

Nos dias 02 a 05 de dezembro, em dois horários, às 09h da manhã e às 19h30min., terá uma nova edição do  Congresso de...

Aumento de restrições: Golpe armado para um dia após as eleições.

Comitê contra Covid-19 do governo de SP recomendou aumento de restrições.

Crime: Doria diz que vacina chinesa pode ser aplicada mesmo sem aval da Anvisa

O Instituto Butantan não entregou o resultado de nenhuma fase de pesquisa clínica com seres humanos para a Anvisa.

Hard Rock Cafe Ribeirão Preto traz objetos icônicos de artistas em exposição permanente

Entre os destaques estão instrumentos musicais originais de bandas como Pearl Jam, Kiss, Paul McCartney e Deep Purple