Home » Política » O homem mais honesto de RP que declarou zero de capital ficou com R$ 2,6 milhões em propina

O homem mais honesto de RP que declarou zero de capital ficou com R$ 2,6 milhões em propina

Mais um sindicalista em cana: Wagner Rodrigues foi preso nesta terça-feira (9)

O ex-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Wagner Rodrigues foi preso na manhã desta terça-feira, 9 de abril, no apartamento em que mora em São Paulo.

Alvo da Operação Sevandija o ex presidente traiu seus representados efetuando um acordo que apenas beneficiou ele e os políticos e advogados envolvidos no caso.
O X9 delatou toda sua turma, mas disse em delação que ficou com 1,200 milhões, quando na verdade recebeu ao menos 2,6 milhões em propina.

Em função da delação, Rodrigues foi condenado a 11 anos de prisão em regime aberto, já a ex-prefeita Dárcy Vera recebeu pena de 18 anos e nove meses de prisão.

As delações continuam valendo como provas:
Mas por ter mentido, os benefícios da delação premiada foram rescindidos. Segundo os promotores, esta rescisão não servirá como base para a defesa de outros acusados tentarem anular as provas já apresentadas.

Nas eleições quando candidato o “presidente” declarou capital ZERO.
Dentre os valores movimentados, foram descobertos R$ 213 mil pagos pelo advogado Sandro Rovani; um cheque de R$ 90 mil do escritório da advogada Maria Zuely Librandi; R$ 220 mil que estavam escondidos nas contas de uma sobrinha e da sogra de Rodrigues e mais R$ 380 mil vindos de um empresário que está sendo investigado pelo MP.

 

PF e MP fazem operação Sevandija na Prefeitura, na Câmara e em autarquias de Ribeirão
Sevandija: Wagner Rodrigues deixa presidência do Sindicato dos Servidores
O dia que Ribeirão mostrou a cara de seus “Sevandija” mas PF diz que é só o começo
Condenação: Dárcy Vera, Maria Zuely, André Hentz, Sandro Rovani, Marco Antônio e Wagner Rodrigues

Comente

Deixe uma resposta