Início Turismo Crise financeira muda hábitos de viagem de mais de 64% dos brasileiros

Crise financeira muda hábitos de viagem de mais de 64% dos brasileiros

- continua após a publicidade -

Para centenas de cidades no Brasil, o mês de novembro reserva três feriados, o dia de Finados (2), a Proclamação da República (15) e o Dia da Consciência Negra (20), com os dois últimos, formando uma super folga de seis dias. Com isso, temos várias oportunidades de relaxar e fazer uma viagem até mais comprida devido a essa conjunção de datas.

Mas, será que com a crise, o povo brasileiro mudou seus hábitos de viagens? Um estudo realizado pela Toluna, empresa fornecedora líder de insights do consumidor para a economia sob demanda, com 1.247 pessoas, mostra que 64% das pessoas afirmaram que sua rotina de viagens será alterada. Entre os que confirmaram as mudanças, 63% falaram que o fizeram devido a uma diminuição de renda da família, com 22% afirmando que decidiram investir em outras áreas e 15% perderam o emprego e priorizaram uma recolocação profissional.

Entre as medidas que as pessoas usam para economizar 50% disseram que trocaram a hospedagem por locais mais baratos e 33% afirmaram que não viajam mais.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

“Esse feriado de 2018 é uma grande oportunidade de se procurar ofertas tanto no transporte quanto na acomodação, mas, é preciso ficar atento para que isso não acabe estragando uma data que, se tudo correr bem, pode ser importante para o descanso e diversão. A pesquisa também mostra que os viajantes têm muito a aprender quando se trata de seus direitos, e que as companhias aéreas ainda podem atuar mais para atender melhor aos viajantes. A AirHelp existe há mais de cinco anos para educar e apoiar os passageiros, e continuamos a trabalhar arduamente para ajudar os viajantes a receber a compensação que lhes é de direito”, afirma Denis da Silva, analista de marketing da AirHelp.

Pessoas ainda viajam, mas estão trocando o meio de transporte

A crise não tirou a vontade de viajar de todos os brasileiros, tanto que 48% das pessoas viajaram em 2018 e 43% deles ficaram pelo menos uma semana em seu destino. Mas, a maioria deles (36%) decidiu ir de carro, que é geralmente uma alternativa mais barata do que avião, o escolhido por 35% das pessoas.

Link para a pesquisa completa: http://tolu.na/l/y3M9JnS

 Nota ao editor
(Pesquisa realizada no dia 31 de outubro de 2018 com 1.247 pessoas das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela Abep – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, onde pessoas da classe C2 tem renda média domiciliar de R$ 1.625 por mês).

Sobre a Toluna
A Toluna fornece informações sobre o consumidor para possibilitar o sucesso na economia global atual sob demanda. Impulsionada pela perfeita fusão de tecnologia, experiência e a maior comunidade global de influenciadores, a Toluna oferece percepções ricas, confiáveis e em tempo real para indivíduos e empresas de todos os tamanhos.

Nossa plataforma automatizada de insights do consumidor, o TolunaInsights™, sustenta tudo o que fazemos. Os clientes podem acessar a plataforma diretamente, utilizar os serviços gerenciados da Toluna ou criar programas de insights digitais totalmente personalizados por meio dos nossos serviços de engenharia.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Botafogo tem estreia no paulistão contra o São Paulo no Morumbi

O time foi rebaixado para a Série C do Campeonato Brasileiro nesta temporada e vem realizando uma reformulação no elenco

STF: Por determinação de Rosa Weber, governo federal deve custear leitos de UTI

Se é para quebrar o pais, vamos forçar tubo goela baixo nos pacientes, e assim todos ficam com uma parte e a pandemia nunca vai terminar

Amazonia 1 chega à órbita com sucesso e inicia transmissão de dados

Fruto de uma parceria entre o programa espacial brasileiro e a Índia - foi comemorado na madrugada de hoje (28)

Moradores de Araraquara relatam falta de comida, preços altos e miséria após início do lockdown

Após seis dias das medidas de restrição para frear casos de Covid-19, supermercados e comércios registram desabastecimento; habitantes apontam aumento do número de pessoas em situação de pobreza nas ruas

Búzios (RJ) aposta em diagnóstico precoce de covid e zera internações

Segundo prefeito, pronto-atendimento e tratamento no início dos sintomas ajudou a reduzir número de casos graves na cidade
- PUBLICIDADE -