InícioSaúdeCasos de violência contra mulher durante a pandemia cresceram 30% em Ribeirão...

Casos de violência contra mulher durante a pandemia cresceram 30% em Ribeirão Preto

“a pandemia, a permanência dos membros em casa, sem atividades externas, contribuiu para intensificar os conflitos e as vivências de violência intrafamiliar”.

- continua após a publicidade -

No Brasil, uma mulher é vítima de estupro a cada oito minutos.

Por dia, três mulheres morrem por feminicídio, e 30 mulheres sofrem agressão física a cada hora.

Os dados alarmantes são do 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Em Ribeirão Preto, a Secretaria de Assistência Social, através do Núcleo de Atendimento Especializado a Mulher – NAEM, registrou aumento de 30% nos casos de violência entre março a dezembro de 2020, se comparado ao mesmo período de 2019.

De acordo com Laura Aguiar, diretora do Departamento de Proteção Social Especial, “a pandemia, a permanência dos membros em casa, sem atividades externas, contribuiu para intensificar os conflitos e as vivências de violência intrafamiliar”.

O NAEM atende, em média, 80 mulheres por mês. As vítimas são encaminhadas por determinação judicial: Órgão de Garantia de Direito, Delegacia de Defesa da Mulher- DDM, Defensoria Pública do Estado de São Paulo, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – CMDM, Conselho Tutelar, entre outros serviços socioassistenciais, Centro de Referência de Assistência Social – CRAS e Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, além das Unidades de Saúde.

arquivo
- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Outro acesso ao NAEM é por demanda espontânea e busca ativa. O Núcleo oferece atendimento humanizado e personalizado, atendimento psicossocial individual e familiar, atendimento psicossocial em grupo e orientação jurídica. A equipe técnica compreende a história de vida da mulher em situação de violência e juntas desenvolvem recursos internos e externos para o enfrentamento.

Nas situações em que a vítima não pode comparecer ao atendimento, este poderá ser realizado em outros locais, como CRAS, CREAS, UBS, Unidade de Ensino. Caso não seja possível a realização do atendimento em outro local, ou se a vítima vive em cárcere, a equipe do NAEM pode realizar visita domiciliar.

Como pedir ajuda?

Maria Patrícia Tedeschi, coordenadora do NAEM, explica como a mulher agredida pode buscar ajuda.

“A vítima poderá procurar os serviços que nomeamos como porta de entrada, são eles: o NAEM, por meio de ligação telefônica, WhatsApp, e-mail e/ou pessoalmente; a Delegacia de Defesa da Mulher – DDM, pessoalmente para registro de Boletim de Ocorrência. É importante ressaltar que o Boletim de Ocorrência pode ser realizado por meios eletrônicos. Outras possibilidades são serviços que não são específicos para atendimento da vítima, porém estão preparados para realizar a acolhida e os devidos encaminhamentos, como por exemplo as Unidades de Saúde, CRAS, CREAS entre outros”.

foto internet

As denúncias podem ser realizadas pelos Canais Nacionais, 180 e Disque 100, e municipais, através do FAS – Fale Assistência Social, pelos números 161, 0800 7730161 e 3610 0687 (também whatsapp), site http://www.fasdenuncia.ribeirao.br/ e e-mail fas161rp@gmail.com.

O NAEM realizou 723 atendimentos de março a dezembro de 2020, número preocupante segundo a Secretaria de Assistência Social. “A questão da violência contra mulher deve ser combatida todos os dias do ano. Violência contra mulher não é só física, existe a psicológica, a sexual, a patrimonial e a moral, o importante é não nos calarmos frente a nenhuma delas. Enquanto sociedade nós temos o compromisso de usar os canais de denúncia para combater todo tipo de violência, quando suspeitamos ou identificamos uma mulher nesta situação. Uma denúncia pode salvar uma vida”, ressalta a secretária Renata Corrêa.

O NAEM possui calendário anual com atividades voltadas para a comunidade que tem por objetivo a orientação e reflexão acerca da violência contra a mulher.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

STF julga liberação de crininosas para prender manifestantes de 8 de janeiro

Vão soltar criminosas para sobrar lugar para prender senhoras que se manifestavam dentro da constituição e acreditaram em um capitão e alguns generais

As críticas do New York Times a Moraes

O jornal norte-americano New York Times voltou a falar sobre o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Uma reportagem publicada neste domingo, 22,...

5 depredações da esquerda contra o patrimônio público

“Nunca vocês leram alguma notícia sobre um movimento ou partido de esquerda invadir o Congresso Nacional, a Suprema Corte ou o Palácio do Planalto”,...

Valor bloqueado de manifestantes sobe para R$ 18,5 milhões

A Justiça Federal autorizou hoje (21) novos bloqueios de bens de suspeitos de financiar os atos que resultaram na depredação dos prédios dos Três Poderes...

José Dirceu propõe reestruturar papel dos militares no Brasil

Militares precisam voltar para os quartéis e sair de órgãos do governo, sugere. José Dirceu de Oliveira e Silva, ex-ministro da Casa Civil de Lula,...
- PUBLICIDADE -