InícioRegiãoSertãozinhoJaneiro é o mês de conscientização sobre a hanseníase

Janeiro é o mês de conscientização sobre a hanseníase

- continua após a publicidade -

Ela começa silenciosa, com uma mancha inicialmente pequena. Pode ser esbranquiçada, cor-de-rosa ou marrom e, geralmente, aparece no rosto, orelhas, nariz, braços, mãos, pernas ou nos pés. Bem no local dessa mancha, a pessoa não sente dor, frio, calor ou até mesmo o toque, ficando mais vulnerável a queimaduras e cortes nas regiões afetadas, o que pode acarretar infecções importantes. A hanseníase pode provocar também o espessamento de nervos; isso ocasiona atrofias e sequelas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a transmissão da hanseníase acontece pelas vias aéreas superiores, através da fala, tosse e/ou espirro, por meio de uma pessoa doente e sem tratamento. Leva de 2 a 7 anos, em geral, para o aparecimento dos primeiros sintomas e pode causar deformidades físicas. Isso, porém, pode ser evitado com diagnóstico precoce e tratamento imediato.

O médico realiza o diagnóstico durante a consulta através do exame clínico, pois não há exame específico de sangue para o diagnóstico da hanseníase. Mas também é possível realizar a baciloscopia e a biópsia de tecidos da pele.

O tratamento é feito com um coquetel de antibióticos. É gratuito e fornecido pelo SUS. E dependendo do tipo de hanseníase, o tratamento pode durar até mais de um ano.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A hanseníase é causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen. E dependendo da quantidade de bacilos que acomete o paciente, pode ter duas classificações: paucibacilar ou multibacilar. A hanseníase paucibacilar faz relação com a pouca quantidade de bacilos. Os acometidos com esse tipo de hanseníase não transmitem a doença. Já a hanseníase multibacilar significa que o acometido pela hanseníase tem muitos bacilos, então, transmite a doença. Entretanto, após o início do tratamento, já não transmite mais.

As pessoas em tratamento podem levar uma vida normal no trabalho, na família e na sociedade. A hanseníase não é transmitida por abraço, aperto de mão ou carinho. Em casa ou no trabalho, não é necessário separar as roupas, os pratos, os talheres e os copos. Entretanto, todas as pessoas que convivem ou conviveram com quem recebeu o diagnóstico de hanseníase devem ser examinadas nos serviços de saúde.

Durante o mês de janeiro acontece a campanha de conscientização sobre a doença, Janeiro Roxo. Nesse período, a Secretaria de Saúde de Sertãozinho realizará ações com todos os profissionais da rede municipal de saúde e nas salas de espera das Unidades Básicas, com a população.

 Hanseníase ou Lepra?

Antigamente as pessoas associavam a hanseníase com a lepra, principalmente nas citações bíblicas. Hoje, sabe-se que chamavam de lepra todas as doenças de pele e que não havia uma diferenciação por falta de conhecimento científico. Dessa forma, em 29 de março de 1995, foi promulgada a Lei nº 9.010, que estabeleceu “hanseníase” como o termo correto, e não mais lepra.

 

Fique atento aos sinais e sintomas da doença:

 

  • Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e ao frio), tátil (ao tato) e à dor. Essas manchas podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, no rosto, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.
  • Áreas com diminuição dos pelos e do suor;
  • Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas;
  • Inchaço de mãos e pés;
  • Diminuição da sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos;
  • Úlceras de pernas e pés;
  • Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos;
  • Febre, edemas e dor nas articulações;
  • Entupimento, sangramento, feridas e ressecamento do nariz;
  • Ressecamento nos olhos.

 

O Programa de Hanseníase de Sertãozinho fica no Centro de Saúde II e é referência para a região. Entretanto, as pessoas que apresentarem alguns dos sinais e/ou sintomas descritos acima devem procurar uma Unidade de Saúde mais próxima de sua residência, para que seja realizado o encaminhamento correto.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Cai quem quer: Rio de Janeiro confirma quinto caso de varíola dos macacos

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou hoje (29) o quinto caso de varíola dos macacos (monkeypox) no estado. Segundo nota divulgada pela...

Bolsonaro confirma general Braga Netto como candidato a vice-presidente

O reservista Braga Netto atuou como chefe da administração civil de Jair Bolsonaro de fevereiro de 2020 a março de 2021

Cursos pré-vestibular e ENEM da USP estão com inscrições abertas

Os cursos populares relacionados à Universidade de São Paulo (USP) estão abertos para turmas no segundo semestre.

As UPAs continuam lotadas mesmo com varias doses, mas quem quer tem mais agendamento aberto

E a festa continua com a picada que não protege nada, mas pode ser motivo de muitos problemas que estão por ai.

6º Festival Nacional de Teatro de Ribeirão Preto tem inscrições abertas

Podem se inscrever grupos e companhias teatrais de todo o país, até o dia 17 de julho, no Portal da Prefeitura
- PUBLICIDADE -