InícioPolíticaVice de Lula tem novamente bens bloqueados pelo Ministerio Publico

Vice de Lula tem novamente bens bloqueados pelo Ministerio Publico

Justiça Eleitoral determina bloqueio de R$ 11,3 milhões em bens de Geraldo Alckmin no caso Odebrech

- continua após a publicidade -

O Ministério Público de São Paulo entrou com recurso para reverter a decisão da Justiça de suspender o bloqueio dos bens do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) de R$ 9,9 milhões em seu caso como réu. .

Alegadamente recebeu dois recibos em dinheiro da construtora Odebrecht na eleição de 2014.

Os bens de Alckmin estão congelados desde abril de 2019, mas foram desbloqueados na semana passada pela juíza Luiza Barros Rozas Verotti da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo.

Na época, o juiz Alberto Alonso Muñoz decidiu o bloqueio a pedido de parlamentares em uma ação civil pública alegando improbidade administrativa.

ARQUIVO
- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A decisão foi tomada a pedido da Polícia Federal.

“Verifico que os elementos de informação acostados autos conduzem a conclusão de que o sequestro dos bens móveis e imóveis dos representados se perfaz medida plausível e necessária a impedir a dilapidação patrimonial e assegurar a eventual reparação futura dos bens, bem como a efetividade de uma eventual e futura persecução criminal, com fundamento no art. 4º da Lei nº 9.613/98, e nos arts. 125 e 132, ambos do Código de Processo Penal”, diz o documento.

Na chamada Lava Jato, o Ministério Público denunciou o ex-governador do SP. Políticos do PSDB são acusados ​​de tirar valor da Odebrecht nas campanhas de 2010 e 2014. A decisão também afeta Marcos Monteiro, ex-tesoureiro do PSDB e ex-ministro do Planejamento do governo paulista, e Sebastião Eduardo Alves de Castro, ex-assessor do tucano. A decisão foi tomada pelo juiz Marco Antonio Martin Vargas, titular do primeiro círculo eleitoral da capital paulista.

Em nota, a defesa do ex-governador afirmou que Alkmin “tem poucos ativos, então não é correto nem correto imaginar 11,3 milhões de reais congelados em seu nome. Não fez, porque nunca teve, 11,3 milhões de reais.

” O texto também dizia que a decisão demonstrava “uma falta de apoio às alegações contra ele, que apenas espalhariam notícias que prejudicariam sua reconhecida dignidade e honra como figura pública”.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -