InícioPolíticaPrefeitura de Ribeirão tem gastos milionários com pesquisas de opinião

Prefeitura de Ribeirão tem gastos milionários com pesquisas de opinião

Nos últimos três anos, os cofres públicos da prefeitura desembolsaram R$ 1,3 milhão para realização de 24 pesquisas de opinião. Qual sua Opnião sobre o @nogueiraduarte ?

- continua após a publicidade -

R$ 19,6 milhões desde 2017 é o que gastou nogueira com publicidade.

O governo Duarte Nogueira entrou na campanha pela reeleição com amplo conhecimento do eleitorado.

Nos últimos três anos, os cofres públicos da prefeitura desembolsaram R$ 1,3 milhão para realização de 24 pesquisas de opinião, que mediram a percepção do ribeirão-pretano nas mais diversas áreas, inclusive a popularidade do Executivo.

A empresa Versão BR, vencedora da licitação da publicidade, subcontratou a Engracia Garcia Consultoria e Pesquisa para o serviço de pesquisas de opinião. Cada levantamento custa entre R$ 50 mil e R$ 59 mil ao caixa da prefeitura.

Duarte Nogueira bebendo um Chopp em Campinas durante a fase vermelha em Ribeirão Preto / Fonte : sigilo de fonte
- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Apenas nos 12 meses anteriores ao início da campanha eleitoral, entre setembro de 2019 e agosto de 2020, foram realizadas 18 pesquisas, ao custo aproximado de R$ 1 milhão, conforme análise do Farolete junto às notas fiscais emitidas.  

Embora custeadas com dinheiro público, os resultados são restritos ao consumo interno da prefeitura, em especial pela agência de publicidade, Coordenadoria de Comunicação Social e Casa Civil.

Além de prestar serviços para a prefeitura, a Engracia foi contratada pela campanha eleitoral de Duarte Nogueira para realizar pesquisas de opinião durante a disputa pela reeleição, recebendo R$ 150 mil. Em 2016 já havia sido contratada pelo tucano por R$ 100 mil.

ebc


Um pouco de tudo

Dentro do contrato de publicidade da prefeitura, os serviços da Engracia são prestados para, oficialmente, orientar as peças publicitárias do governo, direcionando as propagandas de acordo com conteúdo, público e meio de divulgação, além de atestar a eficácia.

Porém, as pesquisas vão muito além disso.

Os questionamentos são amplos: veículos de imprensa com maior audiência junto à população, nível de aceitação do governo, qualidade dos serviços públicos e, até, como o ribeirão-pretano utiliza redes sociais.

Em junho de 2020, três meses antes da campanha eleitoral, a Engracia fez uma ampla pesquisa qualitativa com moradores de 36 bairros de todas as regiões de Ribeirão Preto, com diversidade etária, de escolaridade e renda, de 32 ocupações profissionais distintas, para saber a “percepção dos moradores em relação à cidade de Ribeirão Preto”.

A população opinou sobre a qualidade de vida na cidade, medidas relacionadas à Covid (como fechamento de comércio e volta às aulas), principais demandas (zeladoria urbana e segurança, por exemplo) e, principalmente, avaliação da prefeitura de Ribeirão Preto.

“O principal legado desta gestão foi a recuperação financeira do município, as obras de mobilidade urbana e recape de ruas e avenidas na cidade. Espontaneamente a aprovação é tímida. Com o processo de discussão e apresentação de vídeos, as obras passam a ter relevância e os esforços dos administradores são reconhecidos”, afirma o relatório da Engracia entregue à prefeitura, custeado com dinheiro público.

Na campanha eleitoral, iniciada pouco depois, Nogueira focou os justamente nas obras do PAC e na recuperação financeira da prefeitura.

Farolete disponobiliza, ao final da reportagem, a íntegra dessa pesquisa.

Também em junho de 2020, a Engracia fez, para a prefeitura, uma pesquisa de 47 perguntas com 1.800 ribeirão-pretanos sobre os hábitos de consumo midiático.

Os cofres municipais bancaram análises como o horário em que a população mais acessa redes sociais, se prestam a atenção em propagandas, qual operadora de televisão possui e o costume de ouvir músicas.

Fonte: FAROLETE.INFO

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Menor NÃO: Ministro destaca eventos adversos em adolescentes vacinados

Segundo Queiroga, foram identificados 1,5 mil eventos adversos em adolescentes imunizados. “A OMS não recomenda a vacinação de adolescentes

Teatro Municipal lança edital de ocupação do 1° semestre de 2022

Inscrições começaram dia 15 de setembro e vão até 15 de outubro

Avenida Thomaz Alberto Whately tem nova interdição para obras

Bloqueio ocorre para obras do trecho 1 do corredor de ônibus Norte-Sul pelo programa Ribeirão Mobilidade

IMPORTANTE COMPARTILHE: Anvisa e Min. da Saúde NÃO Recomendam a vacinação para Menores de 18 Anos

Não se vê veículos de imprensa ou governantes falando sobre o assunto, muito pelo contrario continuam incentivando a vacina que não tem teste para menores de 18 anos

Vacinados já são 81,7% dos internados em SP

Do total de hospitalizados, 51,6% (325 doentes) já foram totalmente imunizados, com as duas doses, (34,6%) com Coronavac.
- PUBLICIDADE -