InícioPolíticaDepois de decretar a volta à fase vermelha, Doria ficará dez dias...

Depois de decretar a volta à fase vermelha, Doria ficará dez dias Miami a passeio

No Estado, bares e restaurantes fecharão durante o Natal e o réveillon; permanecem abertos os chamados “serviços essenciais”. Doria não fará falta e poderia ficar por lá.

- continua após a publicidade -

O ditador de São Paulo, João Doria (PSDB), e sua esposa, a primeira-dama do Estado, Bia Doria, embarcaram para Miami nesta madrugada, às 00h05.

Ficarão nos Estados Unidos para as festividades de Natal e réveillon até o dia 2 de janeiro.

Retornarão ao Brasil na madrugada do dia 3.
Os três filhos do casal vão para Trancoso, na Bahia.

Em São Paulo, por determinação de Doria, mediante decreto, bares e restaurantes ficarão fechados no período em razão do retorno à fase vermelha do plano de contingência da covid-19, anunciado ontem. Portanto, as comemorações de fim ano para as famílias serão mais restritas.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

🏅 Olimpíadas: Seleção feminina de handebol estreia com vitória sobre a Espanha! 🇧🇷

A Seleção Brasileira feminina de handebol teve uma estreia impressionante nos Jogos Olímpicos de Paris, vencendo a Espanha por 29 a 18.

🚗 Dia de São Cristóvão: conheça a origem e a história do santo padroeiro dos motoristas 🌟

São Cristóvão é venerado como protetor dos motoristas e viajantes, com uma história que remonta ao século XIII.

Tomate retorna ao RP Folia com show especial após arrastar foliões em 2023

Cantor baiano se prepara para nova apresentação que promete agitar o público. Micareta será realizada no dia 14 de setembro, no Estádio Palma Travassos, em Ribeirão Preto

Jornada do Patrimônio chega a 40 municípios em todo o Estado

Recuperando a memória sobre as ferrovias de São Paulo, evento abre as comemorações do Dia do Patrimônio Histórico

🌡️ Brasil inabitável em 50 anos? A verdade por trás do estudo da Nasa ☀️

Um estudo citado pela Nasa e liderado pelo cientista Colin Raymond prevê que, até 2070, áreas do Brasil podem se tornar inabitáveis devido ao calor extremo causado pelas mudanças climáticas.
- PUBLICIDADE -