InícioMundoImunidade natural é 13 vezes mais eficaz que vacina da Pfizer, conclui...

Imunidade natural é 13 vezes mais eficaz que vacina da Pfizer, conclui estudo israelense

“ESTE ESTUDO DEMONSTROU QUE A IMUNIDADE NATURAL CONFERE PROTEÇÃO MAIS DURADOURA E MAIS FORTE CONTRA INFECÇÕES, DOENÇAS SINTOMÁTICAS E HOSPITALIZAÇÃO CAUSADAS PELA VARIANTE DELTA”

- continua após a publicidade -

O maior estudo observacional realizado até agora concluiu que a imunidade natural após a recuperação de covid-19 é mais efetiva do que a imunidade vacinal induzida por duas doses da vacina Comirnaty, da Pfizer/BioNTech.

No estudo israelense Comparing SARS-CoV-2 natural immunity to vaccine-induced immunity: reinfections versus breakthrough infections, divulgado em preprint, comparando imunidade natural e vacinal, foram examinados registros médicos de dezenas de milhares de pacientes da Maccabi Healthcare Services, de Israel.

“Este estudo demonstrou que a imunidade natural confere proteção mais duradoura e mais forte contra infecções, doenças sintomáticas e hospitalização causadas pela variante Delta”, concluiram os autores.

Os autores descobriram que, entre 1º de junho e 14 de agosto, os vacinados em janeiro e fevereiro de 2021 tiveram um risco aumentado de 13 vezes (IC de 95%, 8-21) para infecção com a variante Delta, em comparação com as pessoas não vacinadas que desenvolveram imunidade natural contra o vírus da covid-19 nos dois primeiros meses do ano.

Contudo, deve-se ressaltar os números pequenos de casos nas comparações.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Por exemplo, em uma análise comparando 32.000 pessoas no sistema de saúde, o risco de desenvolver covid-19 sintomática foi 27 vezes maior no grupo dos 16.000 vacinados e o risco de hospitalização oito vezes maior, em relação ao grupo dos 16.000 não vacinados anteriormente infectados.

Porém, a maior taxa de hospitalização encontrada nessa análise decorre de apenas oito internações no grupo vacinado e uma no grupo previamente infectado. E o risco 13 vezes maior de infecção foi baseado em apenas 238 infecções (1,5%) no grupo vacinado contra 19 reinfecções (0,1%) no grupo dos não vacinados com imunidade natural.

O cálculo parece não considerar que muitos dos primeiros vacinados foram indivíduos com maior risco de covid-19 grave, como os idosos, enquanto as pessoas recuperadas da infecção integram um grupo heterogêneo de múltiplas faixas etárias e, possivelmente, mais resistente ao vírus.

A incidência maior de infecção nos vacinados do início do ano pode decorrer de uma menor resposta imune em geral devido a idade, sem descartar um controverso decaimento da proteção vacinal do imunizante da Pfizer.

Estudos de efetividade da vacina (Six-Month Effectiveness of BNT162B2 mRNA COVID-19 Vaccine in a Large US Integrated Health System: A Retrospective Cohort Study) não diferenciaram o impacto da Delta da potencial diminuição da imunidade nas reduções observadas recentemente na efetividade contra infecções por SARS-CoV-2. A efetividade contra infecções Delta foi alta durante o primeiro mês após a vacinação completa (93% [85‒97]), mas diminuiu para 53% [39‒65] após 4 meses.

Ainda, ninguém no estudo que teve uma nova infecção por SARS-CoV-2 morreu, um sinal claro de que a vacina da Pfizer contra a variante Delta oferece proteção formidável contra complicações graves da covid-19, mesmo que não tão boas quanto a imunidade natural, que não é perfeita – embora as reinfecções sejam raras e frequentemente assintomáticas ou leves, elas também podem ser graves.

O estudo também revelou que aqueles que foram previamente infectados com SARS-CoV-2 e depois receberam uma dose de vacina da Pfizer têm uma resposta imunológica ainda maior ao vírus.

“Continuamos a subestimar a importância da imunidade natural às infecções, especialmente quando é recente. E quando você reforça isso com uma dose de vacina, você a leva a níveis que não podem ser comparados com nenhuma vacina no mundo agora”, diz o cientista Eric Topol.

Deve-se destacar que o estudo se concentra na resposta imunológica, não levando em consideração os danos que o vírus causa ao organismo – os pacientes recuperados de covid-19 podem ter uma resposta imune mais robusta contra uma reinfecção, mas, ao mesmo tempo, lidam com os efeitos de longo prazo da doença.

A infecção intencional não é uma solução para combater o vírus

A variante Delta tem meios de causar mais infecções em pessoas vacinadas, se espalha com mais eficácia, tem um período de incubação mais curto e produz uma carga viral mais alta. Mas os resultados do estudo mostraram que a vacina da Pfizer está funcionando bem.

Os pesquisadores ainda estão tentando descobrir quais dados são um sinal de preocupação. Não parece haver uma correlação linear entre o número de anticorpos neutralizantes e o nível de proteção. Em vez disso, é provável que haja um limite abaixo do qual o organismo é vulnerável a complicações graves.

“Certamente parece haver alguma tendência, mas se há um limite absoluto, ainda não temos um entendimento”, disse Kena Swanson, diretora de vacinas virais da Pfizer, em reportagem da Stat.

Os vacinados têm proteção contra o vírus no 12º dia, em um momento em que quase não há resposta de anticorpos. “Essa foi a maior surpresa”, disse Vidia Roopchand, principal cientista de vacinas virais da farmacêutica.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -