InícioLazer e CulturaYuka Almeida Prado canta ária da ópera Romeu e Julieta

Yuka Almeida Prado canta ária da ópera Romeu e Julieta

- continua após a publicidade -

A soprano Yuka Almeida Prado interpretará “Je veux vivre”, ária da ópera Romeu e Julieta (1867) para soprano e orquestra, de Charles Gounod, no Theatro Pedro II, com regência de Rubens Russomanno Ricciardi. O concerto da orquestra USP Filarmônica será dia 28 de agosto, às 20h30, com entrada franca, trará também os solistas Johannes Grau (tenor), de Berlim-Alemanha; Zeliha Dudak (oboé), de Izmir-Turquia; Wagner Ferreira, de Ribeirão Preto (canto); Claudio Rogério Giovanini Micheletti, da OSUSP (violino), e André Luis Giovanini Micheletti, da FFCLRP-USP (violoncelo). A apresentação comemora os 65 anos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP e o programa trará obras dos compositores Georges Bizet, Ennio Morricone, Charles Gounod, Giuseppe Verdi, Friedrich Holländer, Ary Barroso, Rubens Ricciardi, Gilberto Mendes, João de Deus e Castro Lobo. 

PROGRAMA
Georges Bizet
(1838-1875)
Abertura da Ópera Carmen (1874) para orquestra

Charles Gounod
 (1818–1893)
Je veux vivre, ária da ópera Romeu e Julieta (1867) para soprano e orquestra

João de Deus e Castro Lobo
(1794-1832)
Abertura em Ré Maior (Vila Rica, ca. 1815) para orquestra – edição crítica do Núcleo de Pesquisa em Ciências da Performance em Música da FFCLRP-USP (NAP-CIPEM)

Ennio Morricone (1928)
Oboé de Gabriel do filme A missão (1986) para oboé e orquestra

foto divulgação
- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Gilberto Mendes (1922-2016)
Peixes de Prata (1955) para tenor e orquestra – edição crítica do Núcleo de Pesquisa em Ciências da Performance em Música da FFCLRP-USP (NAP-CIPEM) – autógrafo pertencente ao Centro de Memória das Artes da FFCLRP-USP

Friedrich Holländer (1896–1976)
– Ich bin vom Kopf bis Fuss auf Liebe eingestellt do filme O Anjo Azul (1930) para tenor e orquestra – arranjo de Peter Kreuder (1930) e orquestração de Rubens Russomanno Ricciardi (2016)
– You leave me breathless do filme Cocoanut Grove (1938) para tenor e orquestra – arranjo de Gilberto Mendes (1993) e orquestração de Rubens Russomanno Ricciardi (2016)
– You leave me breathless do filme Cocoanut Grove (1938) para canto com microfone e orquestra – orquestração de Rubens Russomanno Ricciardi (2016) de acordo com a versão original do filme

Giuseppe Verdi (1813-1901)
Tutto parea sorridere, ária da Ópera O Corsário (1848), para tenor, baixo e orquestra

Lundum – Anônimo brasileiro (início do século XIX)
Lundum – Dança popular brasileira editada por Martius e Theodor Lachner (ca. 1825), com versão congada para piano por Francisco Mignone (1921) e orquestração e ainda novo arranjo por Rubens Russomanno Ricciardi (1995)

Ary Barroso (1903-1964)
Aquarela do Brasil (1939) – arranjo e orquestração de Rubens Russomanno Ricciardi (1995)

Entrada Franca
Data: 28/08/2017
Horário: 20h30
Local: Theatro Pedro II – Ribeirão Preto/SP Centro

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração

Pesquisa mostra Bolsonaro com 40% e ex-presidiário com 33%

O ex-presidiário é o campeão de rejeição com 49%. A margem de erro é de 2,2% e o intervalo de confiança é de 95%.

Hora do Horror traz diversão imersiva inspirada em fatos reais

Alcatraz — Rebelião das Almas acompanha o médium John Feltner em investigação paranormal

Fretamento de onibus para as manifestações de 7 de Setembro na Paulista

Já estão com dificuldades de reservar ónibus para as manifestações de 7 de Setembro na Av. Paulista. A comemoração do Bi-centenário da Independência será o dia mais importantes dos últimos 200 anos.

Acabou a mamata: Câmara aprova fim das saídinhas de presos

Confira como votaram os deputados de SP. FROTA, TIRIRICA, e toda a quadrilha do PT, PSB, PSOL e PCdoB , desejavam que os bandidos continuassem nas ruas
- PUBLICIDADE -