• Lazer e Cultura
Início Lazer e Cultura Gastronomia Beth Carvalho, a Madrinha do Samba, morre no Rio

Beth Carvalho, a Madrinha do Samba, morre no Rio

- continua após a publicidade -

A cantora e compositora Beth Carvalho, conhecida como a Madrinha do Samba e um dos maiores nomes da história do gênero, morreu no Rio, nesta terça-feira (30), aos 72 anos.

Ela estava internada no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, Zona Sul da cidade, desde o início de 2019.
A causa da morte ainda não foi divulgada.

Com mais de 50 anos de carreira e dezenas de discos gravados, Beth Carvalho era considerada madrinha de artistas como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Jorge Aragão – daí o apelido.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Um problema na coluna já afligia a cantora havia algum tempo.

Em 2009, Beth Carvalho chegou a cancelar sua apresentação no show de réveillon, na Praia de Copacabana, por causa de fortes dores. Em 2012, a cantora se submeteu a uma cirurgia na coluna.

No ano seguinte, Beth foi homenageada pela escola de samba Acadêmicos do Tatuapé, no carnaval de São Paulo, mas não participou do desfile já por motivos de saúde. Lu Carvalho, sobrinha de Beth, foi quem representou a tia na ocasião.

A cantora se apresentou no Teatro Pedro II em Fevereiro de 2018

Vida e obra

Elizabeth Santos Leal de Carvalho nasceu no Rio, em 5 de maio de 1946. De acordo com o site oficial da artista, seu contato com a música foi incentivado pela família, ainda na infância. Aos 8 anos, apareceram o gosto pela dança e o primeiro violão, que ela ganhou dos avós. Após a prisão do pai no período da ditadura, em 1964, Beth passou a ministrar aulas de música.

Em 1965, gravou o seu primeiro compacto simples, com a música “Por quem morreu de amor”, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli. Seu grande sucesso, “Andança”, é o título de seu primeiro LP, lançado em 1969.

Beth participou de quase todos os festivais de música da época. Em 1968, conquistou a terceira posição no Festival Internacional da Canção (FIC), justamente com “Andança”.

A partir de 1973, passou a lançar um disco por ano e emplacou vários sucessos como “1.800 Colinas”, “Saco de Feijão”, “Olho por Olho”, “Coisinha do Pai”, “Firme e Forte” e “Vou Festejar”. Também gravou composições de Cartola, como “As rosas não falam”, e “Folhas Secas”, de Nelson Cavaquinho.

A cantora era apaixonada pela Mangueira, sua escola de samba do coração, e pelo bloco Cacique de Ramos, onde conheceu muitos de seus apadrinhados.

publicidade
publicidade

Últimas Notícias

Tradicional Encontro de Companhias de Santos Reis de Cravinhos acontece no domingo (21/07)

As apresentações ocorrerão das 9h às 16h, em seguida o palco será aberto para atividades da Paróquia Santa Luzia, e se encerra com a Missa Campal, com início às 18h.

Maior nadador e medalhista César Cielo vai à Jaboticabal dar palestras

Evento da Federação Aquática Paulista traz profissionais renomados da natação do Brasil e do mundo

Instagram deixa de mostrar número de curtidas das postagens

Mudança põe tema entre os mais discutidos na internet

Sesc Ribeirão apresenta o espetáculo Os Rastros das Marias

Monólogo com Cyda Baú faz apanhado sobre histórias de heroínas negras brasileiras

32 alunos da rede estadual da região de Ribeirão Preto conquistam medalhas em Olimpíada...

Dois professores também receberam prêmios pelo destaque na competição de 2018

Viaduto no km 41 da SP-255, em Guatapará, está interditado temporariamente

Colisão causou fechamento da estrutura; confira rotas alternativas para retorno em ambos os sentidos

“Conquistas para se orgulhar” é tema de celebração do aniversário de Pitangueiras

Algumas das mais recentes conquistas de Pitangueiras e Ibitiúva dos últimos anos são:
Eclipse lunar poderá ser visto em Ribeirão Preto

Eclipse Lunar poderá ser visto hoje em Ribeirão Preto e Região

O fenômeno será visível por aproximadamente 02 horas nas cidades da Região. Agora é torcer para que o céu não esteja nublado.

PM cancela CPF de bandido em troca de tiros

Conhecido nos meios policiais, ele disparou contra uma viatura na tentativa de fugir de abordagem
- PUBLICIDADE -