Início Lazer e Cultura Fim de Julho tem shows para todos os gostos: 28/07 - sexta...

Fim de Julho tem shows para todos os gostos: 28/07 – sexta – Oswaldo Montenegro

- continua após a publicidade -

“Nossas Histórias” é um show em que Oswaldo Montenegro toca suas músicas mais conhecidas, comemorando quarenta anos de parceria com a flautista Madalena Salles.

“Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Sim”, “A vida quis assim”, “Eu quero ser feliz agora”, “A lógica da criação”, “A porta da alegria”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos”, “Travessuras” e tantas outras se incorporaram ao inconsciente coletivo do público brasileiro de forma definitiva e, na maioria
delas, o solo da flauta foi composto simultaneamente com a melodia e a letra, sendo impossível pensar nessas canções sem lembrar das introduções.

Se revezando entre teclados, violões e sopro, eles passeiam por essas pérolas e, mantendo a tradição de seresteiros, atendem aos pedidos do público e conversam com a plateia, transformando “Nossas Histórias” num encontro afetivo e musical.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Ingressos: Na bilheteria do Theatro ou venda on-line neste link

Sobre Oswaldo Viveiros Montenegro nasceu em 15 de março de 1956, no Grajaú, Rio de Janeiro, filho mais velho de quatro irmãos. Sempre adorou ler e devorava coleções de Júlio Verne, Monteiro Lobato, Malba Tahan.

 

Em 1975, assinou seu 1º contrato com uma gravadora – a Som Livre – lançando seu primeiro compacto, “Sem Mandamentos”.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Em 1976, a convite de Hermínio Belo de Carvalho, Oswaldo fez, ao lado de Marlui Miranda e Vital Lima, o 1º show de artistas desconhecidos da série “Seis e Meia”, no Rio de Janeiro. Volta, então, a morar no Rio, onde continua a fazer shows quase que ininterruptos. Ainda encantado com o teatro, continua a escrever espetáculos musicais, paralelamente aos shows, passando agora a dirigi-los.

Em 1977, lançou seu primeiro LP, “Trilhas”, independente, a convite e produzido por Frank Justo Acker.

No ano seguinte, foi convidado a gravar pela WEA seu 1º LP por uma gravadora – “Poeta Maldito, Moleque Vadio”.

“Trilhas foi um disco que não podemos considerar exatamente um lançamento. Tínhamos 20 anos e estávamos em temporada no Teatro da Aliança Francesa da Tijuca, no Rio. O Franque Justo Arquer, que é técnico de som, colocou aquele gravador enorme e deixou rodando. Ficamos a madrugada toda tocando; eu, Madá, Amadeu Salles na clarineta, Alan no baixo acústico e Mongol no violão. O disco não teve nem mixagem, foi gravado direto. Foram feitas 300 cópias, vendidas num musical que estávamos fazendo. Infelizmente não existe a master disso e o disco absolutamente se perdeu. O Trilhas tem o poema Metade que mais tarde regravei no disco Ao Vivo.”

“Fui então, convidado a gravar pela WEA. Gravei Poeta Maldito…. Moleque Vadio. Produzido por Gastão Dalamoni, foi um disco que fizemos com orquestra, um disco com um certa tendência conservadora e muito MPB. Eu escrevi 3 ou 4 arranjos e Luis Cláudio Ramos escreveu os outros. A música mais conhecida deste disco foi Léo e Bia, porém a música que as pessoas mais pedem é Sem puder sem medo, que depois entrou em algumas peças minhas, mas que nunca regravei. Minha canção favorita deste disco é Quem Havia de Dizer. Tem também Fruta Orvalhada que eu gosto muito e regravei depois no álbum Branco. Poeta foi um disco que quase não vendeu, o que fez com que a gravadora pensasse em me dispensar. Foi até interessante, porque eu tinha composto Bandolins e inscrito e classificado a música no festival da extinta TV TUPI. Eu estava com a moral tão baixa na gravadora, que ganhei só metade de um compacto, ficando o outro lado com um compositor chamado João Boa Morte, que também havia sido classificado no festival.”

Em 1979, estourou no festival da extinta TV Tupi, com a música “Bandolins”, em 3º lugar. No ano seguinte, ganhou o 1º lugar no festival da Globo MPB-80 com “Agonia”, de Mongol. A partir daí, faz excursões nacionais, toca em grandes teatros, entra na mídia. O patamar de Oswaldo muda. Ainda em 80, lança seu 2º disco pela WEA – “Oswaldo Montenegro”, alcançando, com este, seu primeiro disco de ouro.

“O disco que veio a seguir, Oswaldo Montenegro, incluiu Bandolins. O disco que a maioria das pessoas identificam como sendo a minha cara, talvez por ter feito bastante sucesso. Não sei se sinto isso. Tem uma citação do Mário Quintana onde ele fala que “as pessoas pensam que são fases e na verdade são faces”. Então, essa minha fase deste disco, foi e é identificada como minha verdadeira face. Não sei se é assim. Este disco tem uma coisa interessante: um lirismo agressivo. Esse lirismo é um dos lados do meu trabalho que mais provoca rejeição, ou seja, junto com o sucesso, veio também a rejeição. Minhas canções favoritas deste disco são Bandolins e Por Brilho; essa a que eu mais gosto de todas as minhas músicas.

Compus “Por Brilho” no dia em que eu me separei da Madá. Tínhamos 20 anos, nos separamos e nos tornamos grandes amigos; isso já faz mais de 20 anos.”

Serviço:
Show: Oswaldo Montenegro
Data: 28/07/17 – sexta feira
Local: Theatro Pedro II – Ribeirão Preto – SP
Inicio do show: 21h
Ingressos nas bilheterias do Pedro II ou pelo site

Valores (sujeito a alteração conforme virada de lotes e disponibilidade):
Galeria – a partir de R$ 40,00 (meia)
Balcão Simples – a partir de R$ 50,00 (meia)
Balcão Nobre – a partir de R$ 60,00 (meia)
Frisa – a partir de R$ 60,00 (meia)
Platéia – a partir de R$ 90,00 (meia)

 

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Sertãozinho: Feira de adoção neste sábado (05) na Praça 21 de Abril

Se ainda não tem um pet ou quer ter mais um, essa pode ser a sua oportunidade!

Cristina Mel presenteou o Congresso de líderes Cristãos com sua participação

tarde do terceiro dia do Congresso de Líderes Cristãos foi presenteada pela presença da cantora Cristina Mel.

Destinação de IR para causas sociais vai até 29 de dezembro

Contribuintes que fazem suas declarações do imposto de renda por deduções, modelo completo, podem destinar até 6% do imposto de renda devido às entidades cadastradas

Os canalhas também envelhecem

Ao ser comunicado sobre a prisão, o tarado disse “E VIDA QUE SEGUE”.

Nogueira reajusta IPTU e outros impostos em Ribeirão Preto

Trabalhar só parcialmente mas os impostos são integrais. Reajuste vale também para ISS, ITBI e outras taxas da administração