Início Especiais Agrishow Painel sobre Segurança Alimentar do “Agenda do Agronegócio” encerra série de seminários...

Painel sobre Segurança Alimentar do “Agenda do Agronegócio” encerra série de seminários na Agrishow

- continua após a publicidade -

Foram quatro dias de debates substantivos no Centro de Cana do Instituto Agronômico (IAC).  A Agenda do Agronegócio é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, reuniu debatedores e um público seleto durante sua realização na 24º edição da Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação).

O prefeito Duarte Nogueira, convidado dos organizadores e dos patrocinadores, prestigiou todas as palestras. “Foi uma agenda que se completou entre a importância da agricultura familiar, o cuidado com a sustentabilidade, ou seja, boas práticas de produção, e ao mesmo tempo adequada relação com os recursos naturais, inovação, pesquisa, ciência, progresso e o desenvolvimento permanente como elemento de que o conhecimento nunca está estático, sempre pode ser melhorado, e tudo isso voltado à qualidade de vida e o bem estar”, explicou.

“Fiquei muito feliz como prefeito de Ribeirão Preto, dessa que deve ter sido a maior feira que já fizemos nestas 24 edições, e ela só será menor que a do ano que vem, quando faremos os 25 anos da Agrishow.  Essa é uma das maiores e mais eletrizantes feiras de dinâmica, de agricultura e de equipamentos do mundo. A agenda permitiu trazer um diálogo extremamente importante não só para nossa cidade e para a região metropolitana, mas para o Brasil”, vibrou Nogueira.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

José Valverde Machado Filho, secretário executivo do Consea-SP; Milene Gonçalves, nutricionista e diretora do Cesans; Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia; e Nadja Hadad, jornalista, foram os debatedores do 4º Painel desta sexta-feira, dia 5 de maio, que marcou o encerramento do evento.

Durval Ribas Filho destacou a importância do consumo diário de alimentos saudáveis para se viver e envelhecer com qualidade de vida. Para Ribas, a “agerasia” ou velhice saudável está relacionada diretamente a mudança de hábitos alimentares saudáveis, aliados a prática esportiva entre outros fatores.

Segundo ele, os alimentos desde que consumidos com moderação podem ser responsáveis por uma vida saudável, longa e feliz.

Ele explicou que o consumo de nozes, em porções semanais, por exemplo, diminuem em 40% as chances de doenças cardiovasculares; o bacon deve ser consumido moderamente: acima de 5 vezes por semana pode causar câncer de bexiga; azeite é um santo remédio principalmente para quem vive em grandes centros com altos índices de poluição, diminui o risco de doenças respiratórias.

Alimentos como ovos, peixe, leite, vegetais devem ser consumidos respeitando as proporções, pois só trazem benefícios à saúde de homens e mulheres. Chocolate, café e até pimenta fazem bem à saúde. Bebida alcoólica, cerveja e vinho também são importantes para a saúde do corpo desde que ingeridos com moderação.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A jornalista Nadja Hadad, que até os cinco anos de idade consumia apenas leite materno e só foi descobrir a importância dos alimentos após a reeducação alimentar, também falou dos benefícios de uma alimentação saudável rica em alimentos frescos e produzidos dentro das normas de segurança alimentar.

O debate sobre “Alimentação Saudável” foi conduzido pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado de São Paulo. O secretário-executivo do Consea-SP, José Valverde Machado Filho, e Milene Gonçalves, diretora dos Conselhos Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional (Cesans), falaram sobre as políticas públicas nesta área.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Após auxilio emergencial Bolsonaro cria renda cidadã para 2021

Bolsonaro confirma programa que vai substituir o Bolsa Família

Dia Mundial do Coração conscientiza população sobre problemas cardiovasculares

Em 29 de setembro é comemorado o Dia Mundial do Coração. Criada pela Federação Mundial do Coração com objetivo de conscientizar a população

Suicídio e depressão: questões individuais ou coletivas?

No entanto, quando a Organização Mundial da Saúde declara a depressão como o mal do século e as taxas de suicídio se elevam consideravelmente em épocas de crise e especialmente agora

Mesmo sem isolamento estado de SP completa 10 semanas queda de internações por coronavírus

Indicadores de saúde também apontam que os óbitos voltaram a diminuir, com queda de 16% em relação à semana anterior

Oficina educativa encerra programação mensal do Museu Casa de Portinari

Lúdicas, instrutivas e divertidas, as oficinas são ótimas ferramentas para ensinar conceitos básicos educacionais e sociais às crianças.