InícioEducaçãoDia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças...

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é marcado com várias ações

- continua após a publicidade -

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Comercial de Crianças e Adolescentes, nesta quarta-feira, dia 18 de maio, a Secretaria Municipal de Assistência Social, por meio do Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) realizou palestras, abordagens preventivas na Praça XV de Novembro, Esplanada do Theatro Pedro II Rodoviária e imediações, além de rodas com crianças e adolescentes em Ribeirão Preto.

Boa parte da população não sabe que exploração sexual de crianças e adolescentes é crime e não sabe como identificá-lo.
Na exploração sexual há a utilização sexual de crianças e adolescentes com fins comerciais e lucrativos, ou seja, vendem-se seus corpos para conseguir dinheiro. Nesse caso, quase sempre existe a participação de um aliciador, ou seja, alguém que lucra intermediando a relação com o usuário ou cliente.

É caracterizada também pela produção de materiais pornográficos (vídeos, fotografias, filmes, sites da internet), daí o uso do termo “criança e/ou adolescente explorada, nunca prostituída”, porque ela é vítima de um sistema de exploração comercial da sua sexualidade.
Já o abuso é todo o ato ou brincadeira sexual, relação hetero ou homossexual, em que o agressor (adulto) tenha mais consciência do que a criança ou do que o adolescente sobre o que está fazendo.
A intenção é estimular a criança ou o adolescente sexualmente, bem como utilizá-las para obtenção de satisfação sexual do abusador. Estas práticas eróticas e sexuais são impostas à criança ou adolescente por meio da violência física, de ameaças ou de induções de sua vontade.
As ações têm como objetivo a prevenção através da mobilização, sensibilização, informação e convocação de toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes.
As denúncias podem ser feitas através do Fale Assistência Social, 161.

O que motivou a criação desta data?
Sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, foi drogada, espancada, estuprada e morta. Muita gente acompanhou o desenrolar do caso, desde o momento em que Araceli entrou no carro dos assassinos até o aparecimento de seu corpo, desfigurado pelo ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória.
Poucos, entretanto, foram capazes de denunciar o acontecido.
O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.
Ao contrário do que se esperava, a família da menina silenciou diante do crime. Sua mãe foi acusada de fornecer a droga para pessoas influentes da região, inclusive para os próprios assassinos. Apesar da cobertura da mídia e do especial empenho de alguns jornalistas, o caso ficou impune.
Araceli só foi sepultada três anos depois. Sua morte, contudo, ainda causa indignação e revolta.
O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes vem manter viva a memória nacional, reafirmando a responsabilidade da sociedade brasileira em garantir os direitos de todas as suas Aracelis.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -