Início Educação Coca-Cola, Ambev e PepsiCo deixarão de vender a escolas para crianças de...

Coca-Cola, Ambev e PepsiCo deixarão de vender a escolas para crianças de até 12

- continua após a publicidade -

As gigantes de bebidas, anunciaram em conjunto, nesta quarta-feira (22), um acordo para mudar a política de venda de refrigerantes em escolas.

Segundo as empresas, a partir de agosto, as fabricantes deixarão de vender refrigerantes diretamente às cantinas de escolas “para crianças de até 12 anos (ou com maioria de crianças de até essa idade)”.

Pelo acordo, elas passarão a vender “apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos”.

No caso de grandes escolas, que contemplem crianças e adolescentes de diversas idades, o trabalho será feito pela conscientização do cantineiro e da diretoria – que determinam as regras internas.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A diretora de Categorias da Coca-Cola Brasil, Andrea Mota, explicou, em entrevista, que as empresas envolvidas na ação não têm poder para fiscalizar as vendas dentro das escolas, mas que podem sugerir as mudanças por meio da campanha.

Outra novidade, de acordo com a diretora, é que a Coca-Cola vai comercializar apenas latas em versão mini dos seus refrigerantes nas escolas, com 250 ml (100 ml a menos que a lata convencional). A medida será adotada para tentar reduzir o consumo mesmo entre os mais velhos.

Mota falou também que não foram feitos cálculos sobre o impacto financeiro da ação e que não tinha a estimativa de quantas escolas deixarão de receber os produtos. “Não temos esse estudo porque não foi uma decisão comercial”, explicou.

Consumo e maturidade
No comunicado conjunto, as empresas reconhecem que “crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade suficiente para tomar decisões de consumo”.

Desde março, a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (Abir) recomendou às indústrias que suspendessem a propaganda voltadas para crianças até 12 anos, “seguindo uma tendência mundial”.

 

Confira o comunicado conjunto divulgado pelas empresas:

“A obesidade é um problema complexo, causado por muitos fatores, e as empresas de bebidas reconhecem seu papel de ser parte da solução. A partir de agosto, a Coca-Cola Brasil, a Ambev e a PepsiCo Brasil vão ajustar o portfólio de bebidas vendidas diretamente às cantinas de escolas no país. A principal mudança é que as empresas venderão às escolas para crianças de até 12 anos (ou com maioria de crianças de até essa idade) apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos.

O novo portfólio tem como referência diretrizes de associações internacionais de bebidas. Novos produtos lançados pelas empresas poderão ser incluídos, no futuro, seguindo essas referências.

No momento do recreio, os alunos têm acesso às cantinas escolares sem a orientação e a companhia de pais e responsáveis, e crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade suficiente para tomar decisões de consumo. Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo Brasil entendem que devem auxiliar os pais ou responsáveis a moldar um ambiente em escolas que facilite escolhas mais adequadas para crianças em idade escolar, assim como estimular a hidratação e a nutrição, contribuindo para uma alimentação mais equilibrada.

A escolha do portfólio no Brasil também foi baseada em conversas com especialistas em saúde pública, alimentação e nutrição, além de profissionais e instituições ligadas aos direitos das crianças. A política valerá para as cantinas que compram diretamente das fabricantes e de seus distribuidores. Em relação às demais, aquelas que se abastecem em outros pontos de venda (supermercados, redes de atacados e adegas, por exemplo), haverá uma ação de sensibilização desses comerciantes por meio da qual todos serão convidados a se unir à iniciativa.

As três companhias também estão trabalhando com a ABIR (Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas) para que essas diretrizes de venda de bebidas a escolas sejam um compromisso de todo o setor.”

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Prefeito Greca sofre derrame mas não tem nada com a coronavac

Este é o que criou projeto de lei para multar quem distribuir comida a sem-teto sem autorização em Curitiba. Esperamos que ele esteja se alimentando no Hopital.

Anvisa autoriza uso emergencial de coquetel contra a covid-19

estes medicamentos apresentaram uma redução de 70,4% na hospitalização e mortes.

Feriado de Tiradentes: veja o que abre e o que fecha em Ribeirão Preto

Serviços essenciais estão mantidos, assim como a vacinação contra a Covid-19 seguirá normalmente.

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em julho

Trabalhadores informais nascidos em julho começam a receber hoje (20) a nova rodada do auxílio emergencial.

Com verba da Covid prefeitura antecipa 13º salário de aposentados e servidores

No total, a remuneração mensal dessas pessoas atinge a casa dos R$ 120 milhões mensais.
- PUBLICIDADE -