InícioDiversosVacinados já são 81,7% dos internados em SP

Vacinados já são 81,7% dos internados em SP

Do total de hospitalizados, 51,6% (325 doentes) já foram totalmente imunizados, com as duas doses, (34,6%) com Coronavac.

- continua após a publicidade -

Do total de hospitalizados, 51,6% (325 doentes) já foram totalmente imunizados, com as duas doses, (34,6%) com Coronavac.

Um levantamento feito pela secretaria municipal de Saúde de São Paulo mostra que 81,7% dos 629 pacientes internados com a Covid-19 em hospitais da rede pública já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a doença.

Do total de hospitalizados, 51,6% (325 doentes) já foram totalmente imunizados, com as duas doses ou com uma dose única da Janssen.

Apenas 18,3% (115 pacientes) não foram sido vacinados.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Os números foram coletados na segunda (13).
De acordo com o secretário-adjunto Luiz Carlos Zamarco, que coordena o trabalho, o elevado percentual de vacinados internados já era esperado.

João Dória - Vacina Corona Vírus
João Dória apresenta a CoronaVac / Foto: Divulgação

“A adesão à vacinação foi total na cidade, com praticamente toda a população adulta já vacinada. Sabemos que as vacinas não garantem que ninguém ficará doente. Portanto, muitos dos internados, a partir de agora, estão vacinados”.


O importante, diz ele, é que os imunizantes evitam complicações e mortes –e diminuem o número de internações.
Ele lembra que no dia 30 de maio, quando uma epidemia atingiu o pico na cidade, 1.993 pacientes estavam internados na rede municipal -1.132 deles estavam em UTIs, que chegou perto da lotação máxima.
Agora são 629 hospitalizados, sendo apenas 300 em UTIs e os demais em enfermaria ou em pronto-atendimento.

CoronaVac é apresentada pelo Governador João Dória.

“Depois que a vacinação foi acelerada, o número de internações despencou e tem permanecido estável”, afirma ele.


Do total de vacinados que estão internados, 218 (34,6%) tomaram pelo menos uma primeira dose do Coronavac. Entre estes, 170 receberam também uma segunda dose (ou 27% do total de internados).

Outros 196 pacientes (31,1%) já tomados ao menos a primeira dose da vacina de Oxford / AstraZeneca. Destes, 121 (19,2%) tomaram também uma segunda dose.

Já a Pfizer foi aplicada em 60 pacientes internados (9,5%), que tomaram ao menos a primeira dose. Destes, 15 (2,3%) receberam também uma segunda dose.

Outros 19 (3%) tomar uma dose única da Janssen. E 21 pacientes disseram não se lembrar da vacina que recebeu.

Zamarco lembra que a Coronavac e a AstraZeneca foram os imunizantes mais informativos na cidade, o que ajudaria a explicar o percentual maior de internados que tomaram ao menos uma das duas vacinas.

Na segunda mesma (13) em que as informações foram levantadas, quatro pacientes morreram.

Dois deles não estavam vacinados e tinham mais de 60 anos.

Uma terceira vítima obtida a primeira dose e tinha mais de 60 anos. E a quarta vítima, que também tinha recebido a primeira dose, tinha menos de 60 anos.

O trabalho de Zamarco mostra também a idade dos internados e como vacinas que eles tomaram.

Do total de 629 internados, 43,7% (275 doentes) tinham mais de 60 anos. Apenas seis deles não estavam vacinados.

Outros 27,6% (174 doentes) tinham entre 40 e 60 anos. Destes, 30 não estavam vacinados.

Uma faixa entre 18 e 40 anos corresponde a 14% dos internados (88 pessoas). Destes, 31 não estavam vacinados.

Pacientes entre 12 e 18 anos equivalem a 8% (51 pacientes), sendo que 28 ainda não tinha recebido doses.

No total, 20 menores de 12 anos estavam hospitalizados –e nenhum deles tinha tomado a vacina, que ainda não é aplicada nesta faixa etária.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

BBB 22 solta lista de participantes; conheça o perfil de cada um

O reality show vai ao ar na próxima segunda-feira (17/01) e começou a divulgar na tarde desta sexta-feira (14/01) os novos brothers Chegou o momento...

A verdade que não contam: As picadas ainda estão em testes?

Aprovada pela ANVISA, a bula informa que os estudos do medicamento aplicado, serão conhecidos apenas em 2023. Desta forma é experimental ou não?

AstraZeneca e Janssen têm novo efeito colateral descoberto

Fraqueza nos braços e pernas, formigamentos, dormências, dores ou perda da sensação de dor, além de problemas nos sistemas urinário e digestivo.

Depois da maioria picada os casos explodem em todo mundo

Confira o resumo da aplicadas no Brasil e confira a diferença entre algo efetivo e outro ainda em estudo

Chuvas deixam 45 mil desalojados e 6,6 mil desabrigados em Minas

Nas últimas 24 horas foram registrados 10 mil desalojados
- PUBLICIDADE -