InícioDiversosGoverno Federal e CNJ lançam campanha de combate à violência contra a...

Governo Federal e CNJ lançam campanha de combate à violência contra a mulher

Iniciativa foi lançada neste domingo (7) em cerimônia com a ministra Damares Alves, titular do MMFDH

- continua após a publicidade -

Oamor não causa dor, não causa medo, não deixa trauma ou dívidas. São mensagens assim que estão em campanha do Governo Federal, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para combate à violência contra a mulher em todo o país.

A campanha foi lançada pela ministra Damares Alves, titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

“Nós temos uma meta ousada no governo do presidente Jair Bolsonaro: erradicar a violência contra a mulher no Brasil. Estamos buscando isso com a ajuda de parceiros, como o CNJ”, afirmou.

foto internet

A ação publicitária traz peças e vídeo que estão no site do MMFDH e serão encaminhadas para órgãos e instituições ligadas ao Poder Judiciário, como cartórios e tribunais de Justiça. O objetivo é chamar a atenção para as diversas violências físicas, psicológicas e patrimoniais sofridas por mulheres.

A iniciativa é resultado de um acordo entre o MMFDH e o CNJ para divulgação do Disque 100 e do Ligue 180 no âmbito do Poder Judiciário. Os serviços são coordenados pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), que integra a estrutura do MMFDH.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Os serviços estão nos números das centrais telefônicas de atendimento, no site da Ouvidoria, no aplicativo para smartphones Direitos Humanos Brasil (DH Brasil), no Telegram (Direitoshumanosbrasilbot) e no WhatsApp (61-99656-5008).

Em razão do Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta segunda-feira (8), a primeira ação do acordo foco em mulheres em situação de violência. O termo, no entanto, prevê diversas ações e campanhas para outros grupos vulneráveis, como pessoas idosas, crianças e adolescentes e pessoas com deficiência.

Para o ouvidor nacional de direitos humanos, Fernando Ferreira, essa parceria dá uma capilaridade ainda maior para o Disque 100 e o Ligue 180. “Nós precisamos estar nos lugares em que as violações de direitos humanos acontecem e a violência patrimonial é uma delas. Os nossos canais de atendimento são uma política pública efetiva para atender os mais vulneráveis”, afirmou.

Saiba mais sobre o acordo aqui

FOTO ARQUIVO

Disque 100 e Ligue 180

O Disque 100 e o Ligue 180 são serviços gratuitos para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelos serviços, que funcionam 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

Além de cadastrar e encaminhar os casos aos órgãos competentes, a Ouvidoria recebe reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

Entre os grupos atendidos pelo Disque 100 estão crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua.

O canal também está disponível para denúncias de casos que envolvam discriminação étnica ou racial e violência contra ciganos, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Nova data do Kiss em Ribeirão Preto – Dia 1º de maio de 2022

Os ingressos já adquiridos seguem válidos para a nova data, portanto, não há necessidade de troca ou substituição.

Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira

Prazo para o segundo processo seletivo de 2021 termina no dia 6

Oportunidade de 220 vagas de emprego para diversas áreas

De janeiro a junho deste ano, Ribeirão Preto registrou saldo de 6.955 novos registros em carteira de trabalho, ficando na 6º posição no Estado de São Paulo

GCM recebe 20 armas para uso em patrulhamento

Spark permite imobilizar o infrator sem a necessidade de uso de força
- PUBLICIDADE -