Início Diversos Governo Federal e CNJ lançam campanha de combate à violência contra a...

Governo Federal e CNJ lançam campanha de combate à violência contra a mulher

Iniciativa foi lançada neste domingo (7) em cerimônia com a ministra Damares Alves, titular do MMFDH

- continua após a publicidade -

Oamor não causa dor, não causa medo, não deixa trauma ou dívidas. São mensagens assim que estão em campanha do Governo Federal, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para combate à violência contra a mulher em todo o país.

A campanha foi lançada pela ministra Damares Alves, titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

“Nós temos uma meta ousada no governo do presidente Jair Bolsonaro: erradicar a violência contra a mulher no Brasil. Estamos buscando isso com a ajuda de parceiros, como o CNJ”, afirmou.

foto internet

A ação publicitária traz peças e vídeo que estão no site do MMFDH e serão encaminhadas para órgãos e instituições ligadas ao Poder Judiciário, como cartórios e tribunais de Justiça. O objetivo é chamar a atenção para as diversas violências físicas, psicológicas e patrimoniais sofridas por mulheres.

A iniciativa é resultado de um acordo entre o MMFDH e o CNJ para divulgação do Disque 100 e do Ligue 180 no âmbito do Poder Judiciário. Os serviços são coordenados pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), que integra a estrutura do MMFDH.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Os serviços estão nos números das centrais telefônicas de atendimento, no site da Ouvidoria, no aplicativo para smartphones Direitos Humanos Brasil (DH Brasil), no Telegram (Direitoshumanosbrasilbot) e no WhatsApp (61-99656-5008).

Em razão do Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta segunda-feira (8), a primeira ação do acordo foco em mulheres em situação de violência. O termo, no entanto, prevê diversas ações e campanhas para outros grupos vulneráveis, como pessoas idosas, crianças e adolescentes e pessoas com deficiência.

Para o ouvidor nacional de direitos humanos, Fernando Ferreira, essa parceria dá uma capilaridade ainda maior para o Disque 100 e o Ligue 180. “Nós precisamos estar nos lugares em que as violações de direitos humanos acontecem e a violência patrimonial é uma delas. Os nossos canais de atendimento são uma política pública efetiva para atender os mais vulneráveis”, afirmou.

Saiba mais sobre o acordo aqui

FOTO ARQUIVO

Disque 100 e Ligue 180

O Disque 100 e o Ligue 180 são serviços gratuitos para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelos serviços, que funcionam 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

Além de cadastrar e encaminhar os casos aos órgãos competentes, a Ouvidoria recebe reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

Entre os grupos atendidos pelo Disque 100 estão crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua.

O canal também está disponível para denúncias de casos que envolvam discriminação étnica ou racial e violência contra ciganos, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Depois de ataque hacker, 17 Estados dos EUA entram em emergência

Passando a atual situação está será a nova pandemia com estragos piores que atual. O caminho esta aberto e os avisos são diarios

Trabalhadores nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial

O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 20 de abril.

Botafogo se mantém na elite e vai em busca da taça do interior

Nos últimos oito jogos, o Tricolor conquistou duas vitórias, cinco empates e uma derrota.

Dia das Mães: isolamento social mudou as relações entre mães e filhos

Pelo segundo ano seguido, o Dia das Mães será comemorado durante a pandemia da covid-19

Restos de foguete chinês descontrolado chegam à Terra

Destroços foram localizados no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas
- PUBLICIDADE -