Início Cidades Procon de Ribeirão Preto registra abuso de preços em 40% dos produtos...

Procon de Ribeirão Preto registra abuso de preços em 40% dos produtos avaliados

Itens mais citados são arroz, feijão, leite, macarrão, álcool em gel, máscaras e EPI’s hospitalares; denúncias quadruplicaram em 2020 devido à pandemia

- continua após a publicidade -

Um estudo do Procon de Ribeirão Preto, Órgão Municipal de Proteção e Defesa dos Consumidores, mostrou que 40% dos produtos avaliados após denúncia registraram abuso de preços ao consumidor final.

O levantamento aponta, ainda, um número quatro vezes maior de queixas nos primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2019. Para o chefe do Órgão, o crescimento se deve à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

foto arquivo

Entre os produtos analisados, presentes na maior parte das denúncias, estão arroz, feijão, leite, macarrão, álcool líquido/gel, máscaras e EPI’s hospitalares. Os maiores registros de abuso foram no preço do álcool em gel, arroz e leite.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A margem dos valores do leite, por exemplo, variou entre -9,32%, como a menor, e 42,11%, a maior praticada pelo mercado, com o menor preço de R$ 2,25 e o maior de R$ 3,99. Ainda de acordo com o levantamento, 48,09% das vendas analisadas de leite foram realizadas com o aumento abusivo de preços.

Os dados podem ser observados no site do Procon

“O fornecedor que se aproveitar do momento de pandemia para obter vantagem que possa ser considerada abusiva será penalizado com os rigores da lei, em especial, com multas que vão de, aproximadamente, R$ 700,00, podendo chegar até quase R$ 10.000.000,00”, afirmou Feres J. Najm, chefe de Divisão de Gerenciamento do Procon.

arquivo

Ainda de acordo com Najm, nos primeiros meses deste ano, foi registrado um aumento de 960% na quantidade de denúncias recebidas em comparação ao mesmo período de 2019.

Até esta segunda-feira (1º), foram registradas 705 queixas, que resultaram em 40 notificações a estabelecimentos suspeitos de práticas abusivas.

Do total, 242 eram relacionadas à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), representando cerca de 35% dos registros. Durante todo o ano de 2019, o órgão recebeu 277 queixas.

“Quanto aos estabelecimentos notificados, podemos apontar supermercados, farmácias, revendedores de gás de cozinha, além de lojas de venda de equipamentos e suplementos hospitalares. Notificamos requerendo documentos fiscais de períodos anteriores à pandemia, bem como durante a pandemia, pois isso traçaria o perfil de comportamento dos fornecedores denunciados pelos consumidores”, ressaltou o chefe do setor.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Órgão Municipal de Proteção e Defesa dos Consumidores criou uma plataforma que permite o acompanhamento dos registros de forma transparente, podendo ser visualizado no site do Procon ou através do link http://www.proconrp.com.br/sistema/site/radar_covid19.php.

Os consumidores podem formalizar denúncias no site do Procon ou pelo link http:www.proconrp.com.br/externo/registro_online.php.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Ação do Dia Mundial da Limpeza recolheu 5 toneladas de resíduos sólidos em Ribeirão Preto

Centenas de pessoas participaram do evento. Material recolhido foi encaminhado para destinação adequada

Da ala bolsonarista raiz Rodrigo Junqueira traz o PSL para disputa real a prefeitura

Entenda o que esta em jogo nas eleições de 2020, e quais os reais interesses para o futuro de Ribeirão Preto

O desespero do “Fique em Casa”, impediu a visão dos mais humildes ou desinformados

A politica da "reclusão" do povo, exemplificando o Estado de São Paulo, com a impossibilidade de tratamento antecipado de muitas pessoas, atrapalhou um resultado promissor

O preço do arroz subiu, e agora? Bora substituir o cereal em grande estilo

O chef Melchior preparou uma receita saborosa com um acompanhamento ideal para substituir o arroz e salvar o seu bolso em grande estilo.

Mortes no trânsito sobem na região de Ribeirão Preto

Vítimas fatais aumentam em 17% no mês de agosto segundo o Infosiga SP. Índices reduziram em todo o Estado