Início Cidades Em Agosto, na região de Ribeirão Preto, devido às queimadas Entrevias trocou...

Em Agosto, na região de Ribeirão Preto, devido às queimadas Entrevias trocou 139 placas de sinalização

Há placas de diferentes formatos, que auxilim na organização e logística do tráfego rodoviário. Elas se dividem em vermelhas, laranjas, amarela e azuis.

- continua após a publicidade -

Quem circula pelas rodovias sob concessão da Entrevias e encontra vias bem sinalizadas, com placas em bom estado de conservação e com refletância em ordem, não imagina o trabalho diário de manutenção e conservação.

Há um combo que provoca a avaria das placas de sinalização que, neste caso, precisam ser trocadas.

Entre as causas mais comuns estão batida de veículo, ação do tempo, como chuva, poeira e sol constante, e, na temporada de seca, queimadas. Para se ter ideia deste desafio, nos 299 quilômetros de rodovias operadas na região de Ribeirão Preto, de janeiro a agosto de 2020, a Entrevias trocou 1.021 placas.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O número inclui placas de sinalização de todos os tipos: de advertência, regulamentação e de indicação.

Foto Divulgação

Por mês, a média é de 127 substituições.

Somente em agosto, devido à elevada quantidade de focos de incêndio, foram 139. Já na região de Marília, nos 271 quilômetros que ligam Florínea a Borborema, a empresa precisou trocar 404 placas, uma média mensal de 50 substituições. Considerando as duas áreas de abrangência da concessão, a empresa substituiu, no período, 1.425 placas.

A diferença da quantidade de placas danificadas em ambas as regiões de atuação se explica em razão do trecho Norte da concessão ser maior em extensão e com a maior parte das rodovias já duplicadas, com mais faixas de rolamento, o que gera maior necessidade de instalação de sinalização. 

Na malha viária concedida à Entrevias, há placas de diferentes formatos, que servem para auxiliar na organização e logística do tráfego rodoviário. Elas se dividem em vermelhas, laranjas, amarela e azuis. Cada uma delas é usada para uma indicação na comunicação com usuários de rodovia.

arquivo
- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As vermelhas são chamadas placas de regulamentação, ou seja, servem para indicar obrigação, limitação e proibição.

As laranjas, geralmente, são usadas para sinalização de obra, reforma e particularidades como estreitamento de pistas, desvios etc.

As amarelas são chamadas de placas de advertência. Avisam o motorista a respeito de riscos existentes na pista, como situações de curvas acentuadas, aclives, declives, saída de veículos de carga, entre outros.

Já as azuis são consideradas placas de indicação, mais usadas para sinalizar serviços, a partir do uso de pictogramas e ilustrações, como presença de postos de combustíveis, hospitais etc.

Diariamente, equipes da área de Conservação de rodovias percorrem o trecho e verificam a necessidade de troca de placa avariada. Identificam o problema, o tipo de sinalização e a Fábrica de Placas da concessionária produz uma nova.

Isso porque a empresa é autossuficiente na fabricação de todas as placas utilizadas – da criação do layout à impressão e instalação, e, ainda, faz também sinalização horizontal. No caso de placas menores, mais comuns, a empresa recorre a um estoque da fábrica; já placas maiores requerem produção sob demanda.

arquivo

Em conformidade às regras do contrato de concessão com o governo paulista, submetido à fiscalização da Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São), a Entrevias segue prazos determinados para a substituição de sinalização com problema: 24 horas no caso de placas de regulamentação e advertência e uma semana para as de fundo azul, de indicação – tipo que não impacta no tráfego e segurança de usuários.

Atualmente, em inventário, a companhia conta com 8.306 placas na região de Ribeirão Preto, e 5.370 no trecho de Marília. Todas elas, assim que produzidas, são registradas em um sistema de controle. Usuários que se depararem com alguma placa danificada na rodovia podem entrar em contato com a Entrevias pelo 0800 3000 333 e relatar a situação e localização.

 Sobre a Entrevias Concessionária de Rodovias – A Entrevias Concessionária de Rodovias é responsável pela operação, manutenção e modernização do lote Rodovias do Centro-Oeste Paulista, com um total de 570 quilômetros de vias no eixo entre Florínea, na divisa com o Paraná, e Igarapava, na divisa com Minas Gerais. O contrato de concessão assinado com o governo do Estado de São Paulo – Artesp é a agência fiscalizadora – prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões na restauração de rodovias, ampliação da malha viária e implantação de tecnologias e inovações que contribuem para prestação de serviços de alta qualidade aos usuários. Visite o site da empresa: www.entrevias.com.br. Em caso de emergência nas rodovias ligue para 0800-3000-333.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Nogueira, Suely e Chiarelli lideram pesquisa eleitoral em Ribeirão Preto

Brancos e nulos ocupam o segundo lugar na pesquisa. Pelo visto a população apoia João Doria e todas empresas fechadas e falta de tratamento precoce.

Pais de Wesley oferecem R$ 5 mil para quem oferecer informações reais

Wesley Filho, de 13 anos, está desaparecido há 60 dias, e pai afirma que recebe trote diariamente de pessoas pedindo dinheiro para “libertar” o filho de “sequestro”

Presidente do TSE defende maior participação feminina na política

Na ocasião, o presidente do TSE defendeu o aumento da participação das mulheres na política. Segundo ele, o Brasil tem “irrisórios” 15% de participação feminina no Congresso Nacional

Organização de networking de negócios amplia atuação para seis cidades da região

Orlândia, Guaíra, São Joaquim da Barra, Jardinópolis, Brodowski e Serrana contarão com unidades do BNI Nordeste Paulista

Minczuk rege 9ª de Beethoven com Sinfônica de Ribeirão Preto e coro no Theatro Pedro II

O concerto vem sendo ensaiado desde março de forma remota pela regente ucraniana Snizhana Drahan. Há três semanas, os ensaios passaram a ser presenciais no Pedro II.