InícioSaúdeQuem esta mentindo, Doria ou Pazuello? Ministério da Saúde nega compra da...

Quem esta mentindo, Doria ou Pazuello? Ministério da Saúde nega compra da Coronavac

“Não houve nenhum compromisso com o governo do Estado de São Paulo no sentido de aquisição de vacinas contra covid-19”, informou a pasta

- continua após a publicidade -

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira, 21, que não há intenção do governo de adquirir o imunizante chinês, Coronavac.

Além disso, a pasta garante que houve uma interpretação equivocada acerca da fala do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a vacina do país asiático.

“Em momento nenhum a vacina foi aprovada pela pasta, pois qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec)”, salientou o ministério, em nota divulgada hoje, ao mencionar que não há intenção de compra de vacinas chinesas.

“Não houve nenhum compromisso com o governo do Estado de São Paulo ou seu governador, no sentido de aquisição de vacinas contra covid-19”, acrescentou a pasta.

Entre outros pontos, o órgão do Executivo destacou os atuais compromissos firmados pelo governo federal, a exemplo da iniciativa Covax Facility, com a opção de compra de vacinas. E o contrato de encomenda tecnológica firmado com a farmacêutica Astra Zeneca e a Universidade de Oxford. As tratativas firmadas com essas duas instituições preveem insumos estrangeiros em um primeiro momento para o escalonamento de 100 milhões de doses e transferência tecnológica para produção própria do imunizante no Brasil.

Leia a nota do ministério

“Sobre a reunião de ontem, realizada no Ministério da Saúde, através de videoconferência com governadores, esclarece-se o seguinte:
Houve uma interpretação equivocada da fala do Ministro da Saúde. Em momento nenhum a vacina foi aprovada pela pasta, pois qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Destaca-se que o governo Federal, por intermédio do Ministério da Saúde, tem envidado esforços na direção de proteger a população por intermédio de várias ações, como:

– a adesão na iniciativa Covax Facility, com a opção de compra de vacinas;

– o contrato de encomenda tecnológica AztraZeneca/Oxford com insumos estrangeiros em um primeiro momento para o escalonamento de 100,4 milhões de doses e transferência tecnológica para produção própria de insumos. O que possibilitará que a Fiocruz produza mais 110 milhões de doses no segundo semestre de 2021.

Não houve nenhum compromisso com o governo do estado de São Paulo ou seu governador, no sentido de aquisição de vacinas contra Covid-19.
Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante, grande parceiro do MS na produção de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Mais uma iniciativa para tentar proporcionar vacina segura e eficaz para a nossa população, neste caso com uma vacina brasileira, caso fiquem disponíveis antes das outras possibilidades. Não há intenção de compra de vacinas chinesas.

A premissa para aquisição de qualquer vacina prima pela segurança, eficácia (ambos conforme aprovação da Anvisa), produção em escala, e preço justo. Quando qualquer vacina estiver disponível, certificada pela Anvisa e adquirida pelo Ministério da Saúde, ela será oferecida aos brasileiros por meio do PNI e, no que depender desta Pasta, não será obrigatória.”

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

O Maior Encontro das Tribos de Ribeirão Preto e região vem aí!

Serão três palcos com 22 atrações confirmadas! Quem quer ingresso na faixa diz eu ai.

AstraZeneca prazo entre as doses cai de 12 semanas para 8

Com isso, fica a cargo dos municípios o ajuste dos calendários de segunda dose a partir da disponibilidade do imunizante.

Fórmula 1 anuncia temporada 2022 com recorde de 23 corridas

Bahrein abre calendário em março e Abu Dhabi encerra em novembro

Eliminatórias: com brilho de Neymar e Raphinha, Brasil goleia Uruguai

Seleção vence por 4 a 1 em reencontro com torcida brasileira

Agendamento aberto para 1ª, 2ª e 3ª dose aberto. Confira

CADA GRUPO ESTA DESCRITO ABAIXO. VEJA OS GRUPOS E CONFIRA SUA PROGRAMAÇÃO. São 3 grupos distintos.
- PUBLICIDADE -