Início Saúde Engenheiros e médicos de Brasília criam respirador de R$ 1 mil: vídeo

Engenheiros e médicos de Brasília criam respirador de R$ 1 mil: vídeo

E o principal, os criadores vão disponibilizar o projeto para que seja feito em qualquer parte do país gratuitamente.

- continua após a publicidade -

Engenheiros, fisioterapeutas e médicos do Brasília Maior que o Covid – BMC – criaram um respirador barato, para ser usado em hospitais públicos para ventilar de maneira contínua e adequada pacientes com coronavírus. (vídeo abaixo)

O equipamento deles custa R$ 1 mil, quase 100 vezes menos que o tradicional, que chega a R$ 100 mil e está em falta no mundo inteiro.

O protótipo do respirador brasiliense tem produção simples e montagem rápida: usa componentes comuns como peças automotivas e de eletroeletrônicos, acomodados em uma estrutura em acrílico transparente.

E o principal, os criadores vão disponibilizar o projeto para que seja feito em qualquer parte do país gratuitamente.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Testes

De acordo com os criadores, os testes feitos em simuladores foram bem sucedidos.

“Até o momento foram realizados testes apenas em simuladores, os quais foram todos bem-sucedidos: houve uma ventilação adequada, a máquina se manteve eficiente por um longo período de tempo, superou testes com pressão e velocidade maiores que as necessárias, todos os alarmes de segurança funcionaram e não houve nenhum evento adverso. ”, afirmou o Engenheiro Diego Heleno Louzeiro, conselheiro-central do BMC, articulador logístico e pesquisador do grupo.

Poupar vidas

Ele não foi criado para concorrer com os produtos profissionais, mas para ganhar tempo e manter pacientes vivos.

“A ideia é que ele seja usado de emergência, somente até que se forneça um respirador mecânico ou o paciente seja transferido. É só para mantê-lo vivo, o nosso produto só fornece o mínimo”, explica Pedro Morais, médico e responsável pelo projeto.

O respirador brasiliense também tem um sistema de alarmes para avisar em caso de pane elétrica, falha mecânica ou desconexão do sistema de ventilação.

E controla a frequência respiratória e a pressão do paciente.

Pedro conta que o protótipo demorou dois meses para ficar pronto e diz que o aparelho funciona como um respirador manual, onde um braço vai-e-vem e comprime um saco de ar.

Gratuito

O Brasília Maior que o Covid quer disponibilizar o projeto de forma gratuita para que estados e municípios possam fabricar seus próprios respiradores de emergência, gastando apenas com as peças.

Para isso, os voluntários aguardam que a Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, aprove o protótipo. É só o que falta para ajudar a salvar vidas no país inteiro.

O Brasilía Marior que o Covid é o mesmo grupo voluntário que em março começou a produzir máscaras especiais de proteção com tecnologia 3D e distribuiu gratuitamente em hospitais do Distrito Federal.

Veja como ele funciona:

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Distribuição de vacinas da AstraZeneca/Oxford deve começar neste sábado em todo o Brasil.

Brasil receberá 2 milhões de doses da vacina produzida na índia. Instituto FioCruz vai conferir e distribuir as doses para todo o país.

João Dória mente para a população e coloca todo o estado na Fase Vermelha.

Para o aprendiz de ditador e sua equipe a culpa é apenas da população. Ribeirão Preto entra para a fase vermelha aos finais de semana e após às 20hs durante a semana.

João Dória deve definir lockdown aos finais de semana e após às 20hs em dias de semana.

João Dória deve anunciar medidas com mais restrições para o estado aos finais de semana e toque de recolher durante a semana.

Startup de Ribeirão Preto tem apoio da ANVISA para avançar estudo de vacina contra COVID-19.

Empresa de Ribeirão Preto recebe o apoio da ANVISA para submeter os estudos no desenvolvimento de uma vacina contra o Coronavírus.

Mega-Sena pode pagar R$ 22 milhões neste sábado (23)

sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias CAIXA, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo.
- PUBLICIDADE -