Início Saúde CoronaVac: Cientistas divulgam relatório e alertam “países que utilizam não conseguirão conter...

CoronaVac: Cientistas divulgam relatório e alertam “países que utilizam não conseguirão conter a Covid-19”

Um estudo da Universidade do Chile revelou ser apenas 3% eficaz após a primeira dose, aumentando para 56,5% duas semanas após a segunda.

- continua após a publicidade -

Países como o Brasil e Chile, que dependem das vacinas contra a Covid019 da China, podem ser vulneráveis ​​a futuras ondas da doença, alertaram os cientistas nesta segunda-feria (12).

Especialistas disseram que a crise crescente no Chile deveria enviar um aviso ao resto do mundo de que as vacinas chinesas, incluindo a CoronaVac, são muito fracas para impedir a propagação do vírus, mesmo com um programa de imunização bem-sucedido.

Pelo menos 53 países, contando o Brasil, encomendaram doses das vacinas chinesas.

O fato de serem baratas e fáceis de armazenar as tornaram ideais para países que não possuem o equipamento especial para manter outros jabs em temperaturas ultra-baixas.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A autoridade de saúde da China reconheceram que a eficácia de suas vacinas não era ideal, em uma rara admissão pública no fim de semana.

Gao Fu, diretor do Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças, admitiu que “as taxas de proteção das vacinas existentes não são altas”.

O professor Ian Jones, virologista da Universidade de Reading, disseram que os números do Chile sugerem que as vacinas chinesas “não serão suficientes para impedir a circulação do vírus”.

Apesar de vacinar totalmente um quarto de sua população e receber uma dose única para 40%, o Chile viu sua taxa de infecção dobrar desde meados de fevereiro, passando de 177 casos diários por milhão para 372. Mais de 80% do país foi forçado a recuar para o confinamento.

O Chile está usando principalmente a vacina CoronaVac, fabricada pela gigante farmacêutica chinesa Sinovac, que um estudo da Universidade do Chile revelou ser apenas 3% eficaz após a primeira dose, aumentando para 56,5% duas semanas após a segunda.

Outro estudo no Brasil descobriu que a eficácia pode ser tão baixa quanto 50%, o que apenas atende ao limite da Organização Mundial da Saúde para uma vacina aceitável.

Vacina da AstraZeneca/Oxford será distribuída no Brasil.

Para efeito de comparação, as vacinas Pfizer e Moderna têm taxas de eficácia de 95% e 94%, respectivamente, enquanto a da AstraZeneca é de cerca de 79%.

Testes com dezenas de milhares de pacientes que receberam as vacinas dos EUA e da Grã-Bretanha descobriram que eles interromperam até 100 por cento das hospitalizações e mortes, em comparação com os 84% do CoronaVac.

Outra vacina fabricada na China pela empresa farmacêutica estatal Sinopharm parece ligeiramente melhor do que a CoronaVac, com 73% contra doenças sintomáticas. No entanto, como a China se recusou a publicar dados robustos em um jornal médico, os especialistas não podem ter certeza de quão eficaz a vacina realmente é. Mas os comentários de Gao no fim de semana sugerem que mesmo as autoridades chinesas não estão confiantes na vacina.

arquivo

Os cientistas temem que as vacinas chineses permitam que muitas pessoas escapem das fendas da imunidade, deixando uma proporção significativa da população vulnerável a adoecer gravemente com a doença. Mas eles admitiram que uma injeção acima de 50% de eficácia é melhor do que nada.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Depois de ataque hacker, 17 Estados dos EUA entram em emergência

Passando a atual situação está será a nova pandemia com estragos piores que atual. O caminho esta aberto e os avisos são diarios

Trabalhadores nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial

O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 20 de abril.

Botafogo se mantém na elite e vai em busca da taça do interior

Nos últimos oito jogos, o Tricolor conquistou duas vitórias, cinco empates e uma derrota.

Dia das Mães: isolamento social mudou as relações entre mães e filhos

Pelo segundo ano seguido, o Dia das Mães será comemorado durante a pandemia da covid-19

Restos de foguete chinês descontrolado chegam à Terra

Destroços foram localizados no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas
- PUBLICIDADE -