InícioSaúdeCampanha contra hepatites estará nesta sexta-feira na Esplanada do Theatro Pedro II

Campanha contra hepatites estará nesta sexta-feira na Esplanada do Theatro Pedro II

- continua após a publicidade -

Dentro da programação da campanha contra Hepatites 2017, promovida pela Secretaria Municipal da Saúde, a coordenação do Programa Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids, Tubercolose e Hepatites Virais, promove nesta sexta-feira, 28 de julho, na Esplanada do Theatro Pedro II, uma série de ações sobre a doença.

O foco é promover a educação preventiva e levar informação à população sobre as hepatites. A ação prevê também vacinação contra Hepatite B e oferecimento de testes para diagnóstico das Hepatites B e C para a população adulta.

Haverá ainda apresentação teatral com a peça “Alô Alô Hepatites”, com a atriz Nina Caliento.

De acordo com a coordenadora do Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids, Tubercolose e Hepatites Virais, Lis de Sousa Neves, toda forma de levar informação sobre as hepatites à população é importante e traz resultados positivos. “São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A doença – A hepatite C é uma inflamação do fígado, causado pelo vírus HCV.  Segundo estimativas atuais da Organização Mundial de Saúde, 6 a 10 milhões de pessoas são infectadas a cada ano no mundo, com 1,4 milhões de mortes. A grande maioria não sabe que tem a doença porque ela é assintomática durante muito tempo. Cerca de 70 a 85% dos infectados com o vírus da Hepatite C adoecem e 20% desses poderão evoluir para cirrose, após um período de 20 a 30 anos. Os pacientes com cirrose apresentam um risco acrescido de desenvolvimento de câncer de fígado.

A infecção pelo vírus da Hepatite B é transmitida principalmente pelo sangue e por via sexual, mas também pode ocorrer transmissão vertical, da mulher gestante para a criança. Os indivíduos com infecção crônica também apresentam risco de doença hepática avançada (cirrose, câncer de fígado) após um período variável de tempo, cerca de 10 a 30 anos.

As  hepatites virais B e C, podem ser transmitidas através de relação sexual sem preservativo, pelo uso compartilhado de agulhas, seringas, navalhas, materiais para manicure e pedicure, aparelhos de barbear, por equipamentos não esterilizados em procedimentos médico-odontológicos, tatuagem, colocação de piercing e acupuntura. A mãe infectada com o vírus da hepatite B também pode transmitir a doença para o bebê.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Colégio Metodista suspende atividades em Ribeirão Preto

Instituição contava com 122 anos de atuação na cidade encerra atividades por conta da situação financeira da instituição de ensino. A economia vemos depois.

O fundo do posso sem fundo: Fiocruz indica atenção com dengue

Períodos chuvosos atrelados ao calor são favoráveis à proliferação do Aedes aegypti, que é também transmissor do vírus da zika e chikungunya.

Mãe do presidente Jair Bolsonaro morre aos 94 anos

De Uma família humilde do interior de São Paulo, dona Olinda, partiu mas pode ver os feitos do filho. Nossos sentimentos ao @jairmessias.bolsonaro

Coronavac é liberada e SP confirma dose para crianças em até 3 semanas

Eles garantem que o medicamento é seguro, e casos de mortes não são relacionados com a picada salvadora. Se ele garante nós acreditamos na ciência.

Criança de 10 anos infartou depois da picada mas o motivo não foi a vacina

Prefeitura diz que criança teve parada cardíaca após vacina, mas estado rapidamente concluiu que criança tinha doença rara no coração que os pais não sabiam. E nós acreditamos no trancarua
- PUBLICIDADE -