InícioSaúdeCampanha contra hepatites estará nesta sexta-feira na Esplanada do Theatro Pedro II

Campanha contra hepatites estará nesta sexta-feira na Esplanada do Theatro Pedro II

- continua após a publicidade -

Dentro da programação da campanha contra Hepatites 2017, promovida pela Secretaria Municipal da Saúde, a coordenação do Programa Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids, Tubercolose e Hepatites Virais, promove nesta sexta-feira, 28 de julho, na Esplanada do Theatro Pedro II, uma série de ações sobre a doença.

O foco é promover a educação preventiva e levar informação à população sobre as hepatites. A ação prevê também vacinação contra Hepatite B e oferecimento de testes para diagnóstico das Hepatites B e C para a população adulta.

Haverá ainda apresentação teatral com a peça “Alô Alô Hepatites”, com a atriz Nina Caliento.

De acordo com a coordenadora do Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids, Tubercolose e Hepatites Virais, Lis de Sousa Neves, toda forma de levar informação sobre as hepatites à população é importante e traz resultados positivos. “São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A doença – A hepatite C é uma inflamação do fígado, causado pelo vírus HCV.  Segundo estimativas atuais da Organização Mundial de Saúde, 6 a 10 milhões de pessoas são infectadas a cada ano no mundo, com 1,4 milhões de mortes. A grande maioria não sabe que tem a doença porque ela é assintomática durante muito tempo. Cerca de 70 a 85% dos infectados com o vírus da Hepatite C adoecem e 20% desses poderão evoluir para cirrose, após um período de 20 a 30 anos. Os pacientes com cirrose apresentam um risco acrescido de desenvolvimento de câncer de fígado.

A infecção pelo vírus da Hepatite B é transmitida principalmente pelo sangue e por via sexual, mas também pode ocorrer transmissão vertical, da mulher gestante para a criança. Os indivíduos com infecção crônica também apresentam risco de doença hepática avançada (cirrose, câncer de fígado) após um período variável de tempo, cerca de 10 a 30 anos.

As  hepatites virais B e C, podem ser transmitidas através de relação sexual sem preservativo, pelo uso compartilhado de agulhas, seringas, navalhas, materiais para manicure e pedicure, aparelhos de barbear, por equipamentos não esterilizados em procedimentos médico-odontológicos, tatuagem, colocação de piercing e acupuntura. A mãe infectada com o vírus da hepatite B também pode transmitir a doença para o bebê.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

MST já fala em ‘distribuição de terras de latifúndios’

Movimento quer ainda a 'agroecologia' no Brasil

Não vai acontecer mas: Secretaria da Cultura e Turismo abre cadastro para Grupos Carnavalescos

Até o carnaval estaremos novamente com tudo fechado e eles já sabem, mas fazem de conta que nada sabem.

Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Joe Biden é cúmplice na prostituição de crianças migrantes

Diz que o governo é cúmplice porque 'não somos processados ​​por traficantes'... Criança migrante: minha patrocinadora 'me prostituiria para homens'

CARTA DOS OFICIAIS SUPERIORES DA ATIVA AO COMANDANTE DO EXERCITO BRASILEIRO

Covardia, injustiça e fraqueza são os atributos mais abominados para um Soldado. oficiais superiores da ativa do Exército  Brasileiro, que o fazem de livre e espontânea vontade.
- PUBLICIDADE -