InícioSaúde34% dos fumantes aumentaram o uso de cigarro durante a pandemia

34% dos fumantes aumentaram o uso de cigarro durante a pandemia

Farmacêutico explica a dificuldade dos dependentes em deixar de fumar e destaca a importância da ajuda profissional ao abandonar o vício

- continua após a publicidade -

Farmacêutico explica a dificuldade dos dependentes em deixar de fumar e destaca a importância da ajuda profissional ao abandonar o vício

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado no último dia 29 de agosto, tem como função alertar e mobilizar a população para os danos causados pelo uso do tabaco. Uma pesquisa recente realizada pela Fiocruz aponta que 34% dos fumantes brasileiros admitiram ter aumentado o número de cigarros fumados durante a pandemia.

Segundo o farmacêutico Pablo Tavares Coimbra, a dependência de nicotina, substância encontrada no tabaco, aumenta o risco do indivíduo em contrair doenças crônicas, podendo causar quadros de invalidez ou morte. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o hábito de fumar se tornou também um fator de risco para quem se contamina com a Covid-19, já que o tabaco causa diferentes tipos de inflamação no organismo, prejudicando os mecanismos de defesa.

arquivo



– As seis doenças mais associadas ao tabaco são o câncer de pulmão, que é o segundo tipo de câncer que mais mata tanto homens quanto mulheres no Brasil de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer); AVC (Acidente Vascular Cerebral); diabetes mellitus ou Tipo 2; DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica); infarto do miocárdio e úlceras gástricas.

Pablo, que é professor das graduações de Farmácia e Biomedicina da Estácio, diz que o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas define a ação da nicotina como um estimulante ao bom humor e à diminuição do apetite, agindo majoritariamente no Sistema Nervoso Central.

– Em termos de efeito sistêmico, o indivíduo que fuma tem o aumento da pressão arterial, dos batimentos cardíacos, vasoconstrição, contração do músculo cardíaco, frequência respiratória e atividade motora. A nicotina se distribui rapidamente pelos tecidos do corpo humano e a falta de apetite ocorre pela diminuição da contratilidade estomacal, o que afeta diretamente a digestão tornando-a difícil.


arquivo
- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -


Por que é difícil parar de fumar?

Segundo o INCA, a nicotina é encontrada em todos os seus derivados, como narguilé, charuto, cigarro, cigarro de palha, cachimbo ente outros, e é considerada uma droga que causa dependência por ser uma substância psicoativa.

– Ao ser inalada, a nicotina leva a alterações no Sistema Nervoso Central modificando o estado comportamental e emocional dos indivíduos, da mesma forma que ocorre com o consumo de drogas de abuso, como álcool, cocaína e heroína, explica o farmacêutico.

A dificuldade do fumante em abandonar o vício, segundo Pablo, está associada ao quadro de dependência gerado pela nicotina e a liberação de neurotransmissores no cérebro que são responsáveis por sensações de prazer e bem-estar, explicando as boas sensações geradas quando se fuma.

– Com a inalação contínua da nicotina, o cérebro se adapta e passa a precisar de doses cada vez maiores para manter o mesmo nível de satisfação e bem-estar que tinha no início. Esse efeito é chamado de tolerância à droga. Com o passar do tempo, o fumante passa a ter necessidade de consumir cada vez mais cigarros. Com a dependência, cresce também o risco de se contrair doenças crônicas. Parar de fumar não é fácil. Sendo necessário a atuação de um tratamento médico eficiente, apoio psicoterápico e muita força de vontade. A dependência em nicotina é uma doença, portanto o apoio profiss ional especializado é fundamental.



Em quanto tempo o organismo de um ex-fumante fica limpo?

O professor a Estácio explica que os efeitos do tabagismo são persistentes e ficam presentes no corpo por um longo período, mas afirma que os risco à saúde diminuem de acordo com o tempo sem o cigarro.

Confira como o corpo humano reage quando alguém para de fumar:

Depois de 20 minutos: os batimentos cardíacos e a pressão arterial se normalizam;

12 horas: o nível de monóxido de carbono alcança parâmetros saudáveis;

48 horas: a nicotina é eliminada, melhorando o olfato e o paladar;

72 horas: melhora a capacidade respiratória;

2 a 12 semanas: a circulação sanguínea e a função pulmonar melhoram bastante;

1 a 9 meses: a tosse e a dificuldade de respiração, típica dos fumantes, se tornam raras;

1 ano: o risco de doença cardiovascular cai pela metade;

5 anos: a chance de um acidente vascular cerebral fica próxima à de uma pessoa não fumante;

10 anos: cai para 50% o risco de desenvolver câncer de pulmão;

15 anos: o risco de câncer para o ex-fumante se iguala ao de quem nunca fumou.

Foto holambrense

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

5 depredações da esquerda contra o patrimônio público

“Nunca vocês leram alguma notícia sobre um movimento ou partido de esquerda invadir o Congresso Nacional, a Suprema Corte ou o Palácio do Planalto”,...

Valor bloqueado de manifestantes sobe para R$ 18,5 milhões

A Justiça Federal autorizou hoje (21) novos bloqueios de bens de suspeitos de financiar os atos que resultaram na depredação dos prédios dos Três Poderes...

José Dirceu propõe reestruturar papel dos militares no Brasil

Militares precisam voltar para os quartéis e sair de órgãos do governo, sugere. José Dirceu de Oliveira e Silva, ex-ministro da Casa Civil de Lula,...

Lula quer endurecer penas para crimes ‘contra a democracia’

O Ministério da Justiça e Segurança Pública trabalha em uma proposta para endurecer as punições para crimes “contra a democracia”. O projeto, ainda a...

Lula nomeia novo comandante do Exército; Saiba quem é o General Tomás

O governo federal anunciou na tarde deste sábado (21) que o general Tomás Miguel Ribeiro Paiva é novo comandante do Exército. O ex-comandante Militar...
- PUBLICIDADE -