• Política
Início Política Palocci entrega 18 provas à Justiça para atestar a delação contra o...

Palocci entrega 18 provas à Justiça para atestar a delação contra o PT

- continua após a publicidade -

O ex-ministro Antônio Palocci (Fazenda e Casa Civil) entregou 18 tipos de provas — como agendas, computador, notas fiscais e contratos — em pedido feito ao TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), corte de apelação da Lava Jato, no qual solicita benefícios em razão de sua colaboração com a Justiça.

O objetivo é comprovar a colaboração premiada que acertou com a Justiça. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”.

O pedido foi encaminhado ao desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato na segunda instância e responsável por validar a delação premiada do ex-ministro de Lula e Dilma, firmado com a Polícia Federal.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Condenado a 12 anos e 2 meses de prisão na primeira instância, Palocci solicita à Justiça que sejam concedidos a ele benefícios de um colaborador da Justiça, como a possibilidade de cumprir pena em casa.

Ao justificar o pedido, o advogado Tracy Reinaldet alega que a “cooperação de Palocci” tem se mostrado “efetiva e útil”, segundo relata “O Estado de S.Paulo”. Para Reinaldet, não há risco de que o ex-ministro volte a cometer crimes.

No pedido à Justiça, a defesa de Palocci lista 18 tipos de provas que foram apresentadas, além das mais de 140 horas de depoimentos, para colaborar com as investigações.

Entre as provas estão contratos fictícios firmados pela empresa Projeto (de propriedade do ex-ministro) para receber pagamentos ilícitos, juntamente com notas fiscais corroborando os depósitos. A defesa também cita e-mails trocados entre funcionários de Palocci e das empresas com quem se firmaram os contratos ilícitos, bem como anotações na agenda do ex-petista, extratos bancários, celulares, HD e pen drive. Os advogados incluíram até dados de rastreadores de veículos para confirmar as alegações feitas por Palocci na delação.

Na delação, que foi liberada pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, a menos de uma semana das eleições presidenciais, Palocci afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria participado de uma reunião no Palácio do Planalto, em 2010, na qual foi acertado o pagamento de propina para a campanha de Dilma Rousseff naquele ano, envolvendo a construção de 40 navios-sonda da Petrobras.

Palocci foi alvo da Operação Omertá — desdobramento da Lava Jato — e está preso desde setembro de 2016. Já condenado em primeira instância, o ex-ministro pede benefícios como redução de pena em razão da delação premiada.

publicidade
publicidade

Últimas Notícias

Outra derrota do Botafogo deixa o projeto da serie A distante

Agora, o Pantera busca a reabilitação contra o Londrina, na terça-feira (20), às 19h15, no estádio Santa Cruz.

Programa Direção Segura autua oito motoristas em Cravinhos

Blitz de fiscalização da Lei Seca foi realizada entre a noite de sexta e a madrugada deste sábado (17); Ao todo, 288 veículos foram fiscalizados

Caixa e Banco do Brasil iniciam pagamento de cotas do PIS/Pasep

Para o participante saber se tem direito às cotas, basta acessar o portal

Sesc Ribeirão apresenta espetáculo de dança inspirado na vida da poetisa Sylvia Plath

Dança em Dobro acontece no dia 23 de agosto, sexta, a partir das 20h, com apresentações do Studium Carla Petroni e da Cia. Lusco Fusco

Hospital de Câncer de Ribeirão Preto promove “Tarde Beneficente”

Todo evento é organizado por membros do Grupo de Voluntariado Arco Íris

Habitação entrega casas para famílias de Guatapará

Nesta sexta-feira, 16 de agosto, a Secretaria de Estado da Habitação entrega 97 unidades habitacionais na cidade de Guatapará. O Governo do Estado, através...

Enquanto senado vota abuso de autoridade vereador e apresentador são assaltados em RP

Os Bandidos agiram rapidamente e fugiram em poucos minutos.

Copa Educa Judô agita cidade de Morro Agudo

Consolidado, evento deve receber mais de 60 instituições e mil atletas

ENCONTRO NACIONAL DO PSL DE JAIR BOLSONARO

A mobilização é uma ação da executiva nacional que tem o objetivo de dobrar o número de filiados

Palocci relatou em delação repasses ilegais a Lulinha, amante Gleisi e quadrilha do...

Palocci declarou que parte dessas negociações era realizada por ele com João Vaccari, ex-tesoureiro do PT
- PUBLICIDADE -