InícioPolíticaGeraldo Alckmin é indiciado por corrupção e lavagem de dinheiro

Geraldo Alckmin é indiciado por corrupção e lavagem de dinheiro

Desmoronou e a PF chegou nos tucanos. Ex-governador é alvo de investigação da Lava Jato que apurou a prática de cartel no Rodoanel e no Metrô.

- continua após a publicidade -

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi indiciado nesta quinta-feira (16) pela Polícia Federal em investigação da Operação Lava Jato que apura a suposta prática de cartel no Metrô de São Paulo e no Rodoanel. Além de Alckmin, outros dois homens foram indiciados pela operação, também pela suspeita de terem cometidos os crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro, com penas de 3 a 12 anos de prisão.

Além da colaboração premiada, a operação da Polícia Federal também realizou prova pericial nos sistemas de informática do Grupo Odebrecht e analisou extratos telefônicos, documentos e ligações telefônicas.

“Embora eu não tenha sido ouvido, sequer ouvido, vou prestar contas. As minhas campanhas, tanto de 2010, 2014, agora em 2008, foram rigorosamente dentro da lei”, afirmou Alckmin à CNN Brasil.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -