InícioPolíticaEleiçõesVocê sabe qual a diferença entre o voto nulo e branco?

Você sabe qual a diferença entre o voto nulo e branco?

- continua após a publicidade -

Apesar de o voto no Brasil ser obrigatório, o eleitor, de acordo com a legislação vigente, é livre para escolher o seu candidato ou não escolher candidato algum. Ou seja: o cidadão é obrigado a comparecer ao local de votação, ou a justificar sua ausência, mas pode optar por votar em branco ou anular o seu voto.

Mas qual é a diferença entre o voto em branco e o voto nulo?

Voto em branco
O voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos. Antes do aparecimento da urna eletrônica, para votar em branco bastava não assinalar a cédula de votação, deixando-a em branco. Hoje em dia, para votar em branco é necessário que o eleitor pressione a tecla “branco” na urna e, em seguida, a tecla “confirma”.

Voto nulo
O TSE considera como voto nulo aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de anular o voto. Para votar nulo, o eleitor precisa digitar um número de candidato inexistente, como por exemplo, “00”, e depois a tecla “confirma”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Antigamente como o voto branco era considerado válido (isto é, era contabilizado e dado para o candidato vencedor), ele era tido como um voto de conformismo, na qual o eleitor se mostrava satisfeito com o candidato que vencesse as eleições, enquanto que o voto nulo (considerado inválido pela Justiça Eleitoral) era tido como um voto de protesto contra os candidatos ou contra a classe política em geral.

Votos válidos

Atualmente, vigora no pleito eleitoral o princípio da maioria absoluta de votos válidos, conforme a Constituição Federal e a Lei das Eleições. Este princípio considera apenas os votos válidos, que são os votos nominais e os de legenda, para os cálculos eleitorais, desconsiderando os votos em branco e os nulos.

A contagem dos votos de uma eleição está prevista na Constituição Federal de 1988 que diz: “é eleito o candidato que obtiver a maioria dos votos válidos, excluídos os brancos e os nulos“.

Ou seja, os votos em branco e os nulos simplesmente não são contados. Por isso, apesar do mito, mesmo quando mais da metade dos votos forem nulos, não é possível cancelar uma eleição.

Como é possível notar, os votos nulos e brancos acabam constituindo apenas um direito de manifestação de descontentamento do eleitor, não tendo qualquer outra serventia para o pleito eleitoral, do ponto de vista das eleições majoritárias (eleições para presidente, governador e senador), em que o eleito é o candidato que obtiver a maioria simples (o maior número dos votos apurados) ou absoluta dos votos (mais da metade dos votos apurados, excluídos os votos em branco e os nulos).

 

 

 

Com informações do TSE

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Descendo a ladeira: Botafogo perde mais uma

O Pantera volta a campo agora no dia 27 (domingo), às 11h, quando enfrenta o Oeste no Estádio Santa Cruz, pela quinta rodada da competição.

Hoje é Dia: semana lembra refugiados e Olimpíada

Conheça fatos e datas da semana de 20 a 26 de junho de 2021

165 anos: Apresentação de orquestra sinfônica tem apenas 2 mil visualizações

Sinfônica de Ribeirão fez concerto em homenagem ao aniversário de 165 anos, mas a audiência foi muito pequena.

165 anos: Varejo de RP tem queda de 16%. Temos o que comemorar?

A população e empresários são verdadeiros guerreiros, que lutam com todas as forças para sobreviver e ainda ajudam aqueles que estão em situação mais fragilizada.

165 anos: Theatro Pedro II ganha cores da bandeira de RP no aniversário da cidade

Fachada ficará iluminada de azul e branco até o dia 26 de junho; Orquestra também se apresenta no local em comemoração à data Como homenagem...
- PUBLICIDADE -