InícioPolíticaComo sempre turminha do PT usam retorica e chama vereadores de ‘machista,...

Como sempre turminha do PT usam retorica e chama vereadores de ‘machista, racista e elitista’

Por ser mulher e do PT a vereadora exige que seus projetos caminhem mais rápido do que os demais. Com salario e mordomia que recebe ela não faz parte da elite?

- continua após a publicidade -

Por ser mulher e do PT a vereadora exige que seus projetos caminhem mais rápido do que os demais. Com salario e mordomia que recebe ela não faz parte da elite?

Veja o vídeo ridículo.

Vereadora Duda Hidalgo (PT) publicou um vídeo nas redes sociais em que reclama da demora para que um pro­jeto de lei, de sua autoria, seja analisado pela Comissão de Constituição de Justiça e Reda­ção (CCJ), presidida por Isaac Antunes (PL).

Por isso, a pro­posta ainda não teria sido co­locada na pauta para votação em plenário.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O PT e seus puxadinhos da esquerda, vivem de retorica, se auto declarando defensores dos pobres e oprimidos, mas o que fazem na verdade é usar a minoria para chegarem ao poder, e vivem de propostas demagogas.
Justo um partido envolvido e muitos casos de roubos e desvios, que tiraram o poder de melhoria para os necessitados.
O dinheiro roubado daria para pagar absorventes, comida, saúde, educação para toda população.
(da redação)

arquivo

A vereadora Duda Hidaldo (PT) afirmou, que a Câmara de Ribeirão Preto é “machista, racista e elitista”.

Duda fez a afirmação no sábado (16), durante um ato do qual ela participou na Praça XV.

O assunto não é novidade na Câmara de Ribeirão Preto porque dois projetos semelhan­tes já foram apresentados pelas vereadoras Judeti Zilli (PT, Co­letivo Popular) e Gláucia Bere­nice (DEM), que estabelece a distribuição, pela prefeitura, de absorventes para estudantes em situação de vulnerabilidade.

A comissão de ética da câmara vai ficar assistindo a tolerando este tipo de “mi mi mi”, durante quatro anos?

O presidente da Câmara, Alessandro Maraca, rebateu, por meio de nota, as críticas feitas por Duda Hidalgo. De acor­do com o texto, a parlamentar mentiu e agiu com desonestida­de intelectual. Afirmou que a ge­neralização feita por ela – sobre seus companheiros de vereança – causa indignação.

“Se ela sofreu com algum tipo de machismo na Câmara, que aponte de quem e quando. Pois o machismo é inadmissível, assim como acusar sem apontar provas é ato de calúnia”, diz par­te do texto. O presidente afirma ainda que o projeto de lei da vereadora foi protocolado há mais de 30 dias, e que, depois desse tempo, ela poderia ter apresentado requerimento de urgência especial para apressar a votação da proposta.

“E não o fez. Quando a parla­mentar age com autofagia, mais desinforma a população do que qualquer outra coisa. Acusações infundadas enfraquecem a de­mocracia”, conclui a nota. Pelo Regimento Interno da Câmara de Ribeirão Preto, após 30 dias do protocolo de um projeto de lei, o autor pode requerer urgên­cia, bastando para isso apenas sua assinatura. Antes deste pra­zo o RI limita esta urgência a as­suntos específicos – absorventes não estão entre eles – e são ne­cessárias as assinaturas de pelo menos nove

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com dois a menos, Palmeiras se classifica na libertadores

10 SEMIS DE #LIBERTADORES NA HISTÓRIA! 10 CLASSIFICAÇÕES CONSECUTIVAS EM MATA-MATA NO TORNEIO! 10 PASSAGENS DE FASE EM #LIBERTADORES EM CASA!

Patriotas vão para Paulista: Ribeirão inicia preparativos para o desfile de 7 de Setembro

Em Ribeirão vários grupos se organizam para participar das manifestações em São Paulo, dia que esta sendo considerado o mais importante dos últimos 200 anos. Confira como participar.

WhatsApp lança novas ferramentas para garantir mais segurança e privacidade aos usuários

As funções do aplicativo de mensagens estão em fase de testes, mas devem chegar ao público em breve

Vereador esquerdista que defende mulheres deve cumprir medida protetiva com a ex-namorada

a vítima se sente perseguida e agredida moralmente e psicologicamente pelo autor

“Funcionário” recebe R$ 22 mil por mês da Câmara para estudar Direito na USP em período integral

Trabalhar por que? Se nem os vereadores fazem isso, o O acadêmico em questão é Saulo Wellington Marchiori Magron, lotado no cargo de agente de administração
- PUBLICIDADE -