InícioPolicialO peso da prisão do chefe da Casa Civil de Santa Catarina...

O peso da prisão do chefe da Casa Civil de Santa Catarina (PSL)

#fiqueemcasa enquanto eles rouba a população. O que merece quem se aproveita de uma crise para roubar e colocar muitas vidas em jogo?

- continua após a publicidade -

A prisão de Douglas Borba, ex-chefe da Casa Civil do governo Moisés, dentro da operação Oxigeno, que investiga a compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões para o combate ao coronavírus em Santa Catarina, tem um peso condizente com a relevância que ele ganhou desde a eleição de 2018.

Douglas era o homem forte da atual gestão até ser exonerado da função no começo de maio após a primeira fase da investigação coordenada pelo Gaeco, do Ministério Público, e pela Deic, da Polícia Civil.

Nos primeiros depoimentos, a ex-superintendente de Gestão Administrativa da secretaria de Saúde, Marcia de Pauli, disse que foi Douglas o responsável por indicar a empresa Veigamed para oferecer os 200 respiradores.

ARQUIVO

Em depoimentos, ele negou ter intermediado a compra.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O agora ex-vereador de Biguaçu (ele renunciou ao cargo depois de deixar o governo) se aproximou de Moisés ainda na eleição para o governo do Estado.
Douglas o acompanhava em entrevistas, por exemplo.
Estava com o então candidato lado a lado até a vitória no segundo turno da eleição de 2018.

Ao assumir, o governador deu a ele a principal pasta do seu secretariado.

Aos poucos, o chefe da Casa Civil foi ganhando ainda mais espaço.
Nos bastidores, algumas pessoas que se relacionavam com o governo reclamavam do poder dado a Douglas.

Mesmo assim, cabia a ele a interlocução nos principais assuntos do Executivo.

No lado político, ficou para Douglas, que se desfiliou do PP, o protagonismo para organizar o PSL, escolhido por Moisés mesmo depois de o presidente Jair Bolsonaro decidir pela saída do partido.

O chefe da Casa Civil tornou-se o articulador da sigla de olho nas eleições municipais de 2020.

Mesmo que não esteja mais no cargo, o histórico do ex-secretário tem forte impacto na gestão de Moisés e a segunda fase da operação é um abalo para o governo.

Os investigadores têm dito que o Executivo deu todo o aval para a apuração no caso dos respiradores.

Na primeira fase, o procurador-geral do MP-SC, Fernando Comin deixou claro que não havia indícios da participação do governador na compra.

Mesmo assim, do ponto de vista político e para a sociedade, o contexto do primeiro ano e cinco meses de governo resumem a repercussão da prisão de Douglas.

Na primeira fase da investigação, a Justiça negou um pedido de prisão do ex-chefe da Casa Civil. Os fatos novos que embasaram uma nova solicitação e a permissão judicial são, sem dúvida, respostas importantes para o entendimento do cenário.

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

O sonho acabou: Doria foi chutado pelo PSDB

@jdoriajr se o sonho acabou, procure a próxima padaria, de preferencial na China.

Varíola do macaco: O que é essa doença?

Ao todo são 80 casos confirmados em 12 países, argentina já tem caso e todos os continentes foram atingidos. Como se proteger e quais os riscos. Confira aqui

Enxaqueca requer tratamento médico, alerta neurologista

Você pode ser atendido sem fila, sem sair de casa e com acompanhamento medico, evitando assim o uso de medicamentos desnecessários

Oportunidade: 143 vagas de emprego abertas nesta semana

Entre as oportunidades estão cargos como cozinheira, motorista, auxiliar de escritório, vendedor, barista, garçom, cabeleireiro, nutricionista, entre outros.

60 anos esperando titulo Comercial pode sair da fila

Com acesso garantido, Comercial busca 1º título de uma divisão de Paulista em 64 anos. O time terá força máxima no primeiro jogo da final, sábado às 19h, em Bauru
- PUBLICIDADE -