InícioEducaçãoMitos e verdades do ensino bilíngue

Mitos e verdades do ensino bilíngue

A fluência em uma segunda língua nunca foi tão requisitada quanto o é hoje.

- continua após a publicidade -

A fluência em uma segunda língua nunca foi tão requisitada quanto o é hoje. A busca pela introdução de um segundo idioma desde a primeira infância vem aumentando, de acordo com a Abebi (Associação Brasileira de Estudos Bilíngues), que registrou um aumento significativo de 10% no mercado de escolas bilíngues no Brasil desde 2014.

Esse tema, no entanto, embute muitos mitos. Entre eles, está a crença de que tudo que a aprendizagem bilíngue consegue é fazer com que a criança se torne um profissional mais completo.

Neste artigo desmistificamos alguns mitos e elucidamos os benefícios pouco conhecidos sobre o ensino bilíngue.

Mito 1: O único benefício de um segundo idioma é no mercado de trabalho.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Na década de 1980 foram desenvolvidas pesquisas na Suíça (Lewis Balkan), Ucrânia (Jim Cummins e Gulutsan) e Nigéria (Nduka Okoh) que evidenciaram que pessoas bilíngues apresentavam habilidades verbais mais aprimoradas, criatividade, capacidade analítica e melhoras inclusive nas habilidades matemáticas.

Capacidade para discriminar informações relevantes e irrelevantes, aumento na capacidade de processamento da linguagem e superioridade intelectual também são observados quando o ensino bilíngue é oferecido desde a primeira infância.

Mito 2: A criança pode ficar confusa ao tentar aprender duas línguas ao mesmo tempo, deixando-a atrasada.

Este mito deriva de pesquisas antigas e equivocadas. A superioridade intelectual e cognitiva de crianças que aprendem dois idiomas ao mesmo tempo já é comprovada. Uma pesquisa da Universidade de York (Canadá) mostra que elas adquirem vocabulário com uma profunda compreensão da estrutura de linguagem, e desenvolvem capacidade de concentração superior.

Além disso, não há pesquisas científicas que associem o bilinguismo a atrasos no desenvolvimento da fala de uma criança. Esse desenvolvimento exige que ela seja estimulada linguisticamente, sem pressão ou cobrança excessiva por parte dos pais (que podem criar inibição).


Mito 3: Ensino bilíngue na escola depois que o aluno já é mais velho é ineficaz.

Não há comprometimento na capacidade de aprendizado de uma criança por ser mais velha. O que ocorre é que, até três anos e meio de idade, a criança está consolidando o desenvolvimento de uma língua para se comunicar com o mundo. Introduzir um segundo idioma neste momento apenas torna seu aprendizado mais natural.

Adolescentes e adultos também são capazes de se adaptar a uma nova língua mesmo em idades mais avançadas – desde que nisso estejam empenhadas (o mesmo valendo para a infância).

Mito 4: O vocabulário pode ser confundido na hora de se comunicar, fazendo com que a criança não consiga ser clara em línguas únicas.

Quem passa por uma alfabetização em duas línguas consegue distinguir com perfeição as duas falas. Um equívoco que pode acontecer é que algumas expressões são singulares de um determinado idioma, e ao querer comunicar o mesmo sentido em um idioma diferente, o interlocutor procura expressão similar adaptada, e essa equivalência nem sempre ocorre.


Mito 5: Ensinar duas línguas ao mesmo tempo, em diversas disciplinas, pode estressar o aluno com tantas associações de informações.

Ter a capacidade de falar mais de um idioma pode ser sinal de saúde mental, e não o contrário. De acordo com pesquisa de Ellen Bialystok, da Universidade de Nova York, publicada na Trends in Cognitive Sciences, entre os benefícios da flexibilidade mental de uma pessoa bilíngue está a capacidade de adaptação a mudanças.

O bilinguismo tem, inclusive, benefícios a longo prazo, como um envelhecimento saudável e o adiamento dos sintomas de demência em idosos.


Mito 6: O bilinguismo é algo para ser aplicado na escola apenas.

O ambiente familiar é uma importante ferramenta para dar continuidade ao aprendizado das crianças. Atividades que estimulem a aquisição de uma segunda língua – histórias, filmes, viagens e brincadeiras, entre outras – auxiliam e muito seu desenvolvimento.

No aprendizado bilíngue, o processo da fala de um novo idioma é natural, e não apenas um exercício de memorização de regras de gramática. E quanto mais contextualizado com seu dia a dia, mais eficaz é o aprendizado.

***

O Grupo SEB, principal conglomerado de educação básica do Brasil, acaba de transformar algumas de suas unidades pelo país em bilíngues. Com o entendimento da importância do bilinguismo, em parceria com a Conexia, por meio do programa High Five – parceiro estratégico da Cambridge Assessment English (da Universidade de Cambridge), os alunos de Ensino Infantil terão 50% das aulas da grade curricular ministradas em inglês. No Ensino Fundamental I, a proporção será de 40%.

Daniellen Lopes Torres da Silva Zwierzynski é Diretora Nacional de Educação Bilíngue do Grupo SEB.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Hora do Horror traz diversão imersiva inspirada em fatos reais

Alcatraz — Rebelião das Almas acompanha o médium John Feltner em investigação paranormal

Fretamento de onibus para as manifestações de 7 de Setembro na Paulista

Já estão com dificuldades de reservar ónibus para as manifestações de 7 de Setembro na Av. Paulista. A comemoração do Bi-centenário da Independência será o dia mais importantes dos últimos 200 anos.

Acabou a mamata: Câmara aprova fim das saídinhas de presos

Confira como votaram os deputados de SP. FROTA, TIRIRICA, e toda a quadrilha do PT, PSB, PSOL e PCdoB , desejavam que os bandidos continuassem nas ruas

Sextou: Confira a programação para o primeiro final de semana de Agosto

Fresno Fresno, Gusttavo Lima, Abba Experience, A Pequena Sereia,  Anime Fest, Biblioteca e shopping tambem trazem programação especial.

Grupo Teatral Fora de Hora se apresenta em Serrana

Nesta nova obra intitulada “Bernardo Literato”, inspirada no enredo do livro infantil “João das Letras”, de Regina Rennó, o coletivo teatral conta a história de Bernardo, um jovem escritor cujo sonho é realizar sua carreira enquanto artista.
- PUBLICIDADE -