Início Economia Semana Nacional de Conciliação Trabalhista começa hoje no TRT-15

Semana Nacional de Conciliação Trabalhista começa hoje no TRT-15

- continua após a publicidade -

O presidente do TRT da 15ª Região, desembargador Fernando da Silva Borges, promove nesta segunda-feira, em Campinas/SP, às 14 horas, a abertura da Quarta Semana Nacional de Conciliação Trabalhista em um esforço que envolverá as unidades do Regional, que abrange 95% do território paulista. Até sexta-feira, dia 25/5, estão previstas mais de sete mil audiências de conciliação na jurisdição do TRT-15, que engloba 163 unidades de 1º grau e nove Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas da Justiça do Trabalho (Cejuscs-JT) – um no 2º grau e oito na 1ª instância. No Cejusc de Ribeirão Preto, coordenado pela juíza Amanda Barbosa, serão cerca de 500 audiências de conciliação durante o período.

O mutirão conciliatório, sob coordenação do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), mobiliza todos os 24 tribunais trabalhistas do País durante esta semana com o objetivo de estimular a solução de conflitos mediante acordos entre patrões e empregados.

 

A conciliação na Justiça do Trabalho

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A conciliação faz parte da natureza da Justiça do Trabalho, sendo reconhecida como um meio rápido e eficaz para solucionar os conflitos. Desde 2015, a Justiça do Trabalho, por meio da Comissão Nacional de Promoção à Conciliação, promove campanhas como a Semana Nacional de Conciliação Trabalhista com a finalidade de conscientizar e estimular empresas e trabalhadores a optarem pelo diálogo. O objetivo é que patrões e empregados firmem acordos e solucionem seus litígios, reduzindo o número de processos que tramitam nos tribunais e varas.

A edição nacional anterior do evento, em 2017, realizou 71.940 audiências, 26.527 acordos entre patrões e empregados que colocaram um fim em processos judiciais, resultando em mais de R$ 749,2 milhões arrecadados. Esse valor beneficiou diretamente 198.470 pessoas. O TRT da 15ª Região alcançou a primeira colocação dentre os 24 tribunais regionais do trabalho em valores homologados destinando aos trabalhadores R$ 198.763.077,47, o que corresponde a 27,3% do total arrecadado em nível nacional.

Com o slogan “Sempre dá para conciliar”, as peças da campanha ressaltam a ideia de que, em uma ação trabalhista, é possível às partes recorrerem em qualquer momento ao pedido de conciliação. Além disso, a campanha ressalta que a Justiça do Trabalho incentiva, há mais de 75 anos, os acordos como uma forma rápida, equilibrada e eficaz de resolver conflitos, sempre abrindo espaço para o dialogo, independente do estágio em que se encontra o processo.

A Quarta Semana Nacional de Conciliação Trabalhista, que acontece até sexta-feira, dia 25 de maio, adotou o tema “Sempre dá para conciliar” a fim de conduzir os trabalhos em 2018. O evento é uma mobilização de toda a Justiça do Trabalho (JT) para estimular acordos entre patrões e empregados. O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) é o responsável por promover a parceria com os 24 Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) para que seja solucionado o maior número possível de processos pela via da conciliação.

Com o slogan “Sempre dá para conciliar”, as peças da campanha ressaltam a ideia de que, em uma ação trabalhista, é possível às partes recorrerem em qualquer momento ao pedido de conciliação. Além disso, a campanha ressalta que a Justiça do Trabalho incentiva, há mais de 75 anos, os acordos como uma forma rápida, equilibrada e moderna de resolver conflitos, sempre abrindo espaço para uma conversa, independente do estágio em que se encontra o processo.

Conciliação a qualquer tempo

Empresas e trabalhadores com ações em trâmite no TRT da 15ª Região podem procurar os Cejuscs-JT nos fóruns trabalhistas de Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba, além demais unidades trabalhistas da jurisdição, independente do período do mutirão. Qualquer empresa pode optar pela conciliação, independentemente do porte ou do número de processos existentes.

Após comunicar a intenção de conciliar à unidade trabalhista no qual o processo tramita,  é marcada uma audiência e, no dia agendado, as próprias partes, perante o magistrado, acordam a solução mais justa para ambas.

Confira os contatos e endereços dos Cejuscs do TRT-15:

 Cejusc de 2º grau

Sede Administrativa: Rua Conceição, 150 – Centro – CEP: 13015-081 | Campinas/SP

PABX: (19) 3231.9500

cejuscjt2@trt15.jus.br

 

Cejusc de Ribeirão Preto

Rua Afonso Taranto, 105 – Nova Ribeirania – Ribeirão Preto/SP – CEP: 14.096-740

(16) 3625-3016

cejusc.ribeiraopreto@trt15.jus.br

 

Cejusc de São José do Rio Preto

Avenida José Munia, 5500 – Chácara Municipal – São José do Rio Preto/SP CEP: 15.090-185

(17) 3227-7040

cejusc.sjriopreto@trt15.jus.br

 

 

 

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

CIÊNCIA: MPF de GO afirma resultados positivos no tratamento precoce

A rápida redução da carga viral e dos marcadores inflamatórios é o principal objetivo do tratamento inicial, pois estes eventos é que irão impactar na redução de duração de sintomas, dias de internação e mortalidade.

Nota de posicionamento SINCOVARP/CDL Ribeirão Preto

Bons eram os tempos em que o SINCOVARP/CDL tinham diretores que defendiam os interesses dos comerciantes e não se baixavam para não mostrar a bunda

Nogueira confirma: Ribeirão Preto passa para fase vermelha a partir do próximo sábado

Sobre o toque de recolher, nem mesmo o prefeito soube explicar como funcionara, e afirmou que divulgará ate a próxima Sexta-feira

Estudos mostram que vacina do Doria não funciona na nova cepa do vírus

“os resultados sugerem que a P.1 pode escapar de anticorpos neutralizantes induzidos por uma vacina de vírus inativado”, como a CoronaVac.

Zona vermelha com toque de recolher a partir das 20 horas em Ribeirão Preto e todo estado

A montanha russa continua, quem esta com peixe, carne, bebidas em estoque volta a perder o que investiu, e academias continuam a pagar aluguel e impostos sem trabalhar.
- PUBLICIDADE -