Início Economia Segurança eletrônica cresce e impacta mercado imobiliário

Segurança eletrônica cresce e impacta mercado imobiliário

Com faturamento de mais de R$ 6 milhões e projeção de crescimento, o setor de segurança reforça uso da tecnologia em condomínios residenciais

- continua após a publicidade -

Empresas que trabalham com segurança eletrônica vivenciam um mercado em ascensão, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE). Em 2018, o setor faturou R$ 6,52 bilhões no país, alta de 8% frente ao ano anterior, e para 2019 as oportunidades podem ser ainda maiores: a previsão é fechar o ano com crescimento de 10%.

 Esse cenário movimenta diretamente o segmento de tecnologia, afinal, são exigidas cada vez mais soluções de fácil aplicabilidade e com aprimoramento específico para cada setor, como o de moradia. “A inteligência desenvolvida para promover a segurança de condomínios residenciais, principalmente em relação ao controle de acesso de pessoas, está em constante refinamento. As placas de acesso, que são o ‘cérebro’ dos equipamentos, suportam cada vez mais informações e tornaram-se compatíveis com as mais diversas ferramentas, facilitando a coleta dos dados”, avalia Dimas Fausto, presidente da Dimastec, especialista em gestão de ponto e controle de acesso. 

A segurança é um tema de interesse público, uma vez que as cidades registram altos índices de roubos e furtos.  Ribeirão Preto (SP), por exemplo, contabilizou 4012 ocorrências de furto e 1437 de roubo entre janeiro e maio deste ano, segundo as estatísticas da Secretaria de Segurança Pública.

Nesse atual panorama, Luiz Cláudio, síndico de um condomínio no bairro Lagoinha, em Ribeirão Preto, afirma que encontrar a casa ideal para morar está diretamente ligado ao sentimento de segurança. “Nas reuniões, os moradores pedem cada vez mais investimento nesse setor. Tanto que, em janeiro deste ano, contratamos uma nova empresa para fazer o controle de acesso no condomínio. Queríamos deixar os registros mais precisos, para ter o domínio de todos que entram e saem, e isso funcionou muito bem.”

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O condomínio passou a usar a biometria para todos os moradores, cartão para visitantes – contendo as informações pessoais, data e horário de entrada e saída, além do botão do pânico, câmeras, entre outros itens. Como resultado, a segurança do residencial está mais forte e tranquiliza a todos.

 “Com o mundo cada vez mais digital, aprimoramos os processos tecnológicos para oferecer ao mercado imobiliário o que o consumidor precisa: segurança com rastreabilidade. Logo conseguiremos deixar todas as informações de administração e controle de acesso na palma da mão do morador, por meio de aplicativo de celular”, ressalta Dimas.

Sobre a Dimastec – Gestão de ponto e acesso

Com pouco mais de 25 anos dedicados à gestão de pontos, acessos de entradas em prédios e condomínios, a Dimastec, sediada em Ribeirão Preto (SP), é hoje uma das referências nacionais no setor desenvolvendo produtos com tecnologia avançada, integrando soluções para mais de mil clientes empresariais. A empresa presta serviços em todo território nacional, com uma infraestrutura completa com mais de 2000 metros quadrados e 35 funcionários diretos.

O diferencial oferecido pela Dimastec está em ter um laboratório próprio de desenvolvimento tecnológico, para assim oferecer ferramentas digitais, softwares e hardwares de última geração que atendam às principais demandas dos clientes e do mercado atual.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Bolsonaro entrega à Câmara projeto para privatização dos Correios

Cabide de emprego, serviço prestado ruim e caro, os correios tem um custo muito alto para o contribuinte. O que o mercado precisa é de concorrência.

Um milagre praticamente acabou com a dengue em Ribeirão Preto

É para dar gloria a Deus de pé igreja, em janeiro, foram confirmados apenas três casos de dengue, uma queda de 99,9%

Ribeirão Preto receberá segunda unidade do Bom Prato

Equipamento será instalado na região do Hospital das Clínicas e terá capacidade para servir 1.400 refeições e 300 cafés da manhã por dia

Banha ou óleo de soja qual é mais saudável?

Quanto mais se estuda sobre a gordura animal, mais se confirma que nossos pais e avós estavam certos quando cozinhavam com a banha de porco.

Conforme publicamos mais cedo, Ditadoria implanta toque de recolher

Ficam proibidas inclusive reuniões sociais em residências, colocando forças policiais para atuar.
- PUBLICIDADE -